Barcelona

(post em 08/01/2014)


Madri ou Barcelona? Santiago Bernabéu ou Camp Nou ? Porta do Sol ou Las Ramblas? Oh! Dúvida cruel! Como decidir entre as duas maiores cidades da Espanha? Longe de pensar que são antagônicas turisticamente falando.Cada uma tem seu charme, suas atrações e seus encantos. Sou suspeita e prefiro Madri, pois vivo aqui; mas os três dias que passei em Barcelona me fazem revirar os olhos de saudade. Por isso entre uma e outra fique com as duas!

Barcelona melhorou muito depois dos Jogos Olímpicos de 1992 e nisso todos os espanhóis concordam. Uma cidade vibrante, com praias, museus e uma arquitetura bem modernista do começo do século 20 quando Gaudí e sua turma deixaram propostas bem interessantes. Dizem que a noitada lá é maravilhosa que não pude conferir in loco, mas tenho informantes.

Abaixo relato meu roteiro de três dias feito em março de 2011. Apesar de estar na costa não se engane, pois no inverno, neva. No verão aquele calor desgraçado que todo carioca odeia (só gosta se dá para ir a praia). Portanto, pense qual é a melhor época para visitar a capital da Catalunha.

Como chegar: há voos diretamente do Brasil para Barcelona, mas se você veio para Madri antes (sim,sim) é possível ir de ônibus (quase oito horas, de 32 a 40 euros, companhia ALSA), trem normal (nove horas, 41 euros), alta velocidade (AVE. Sai de 106 a 125 euros, de 2 horas e meia a 3 horas de viagem) ou avião.

DSC06749Quantos dias preciso? Questão sempre pessoal, mas achei pouco três dias. Não visitei o estádio do Barça, nem entrei em nenhum museu e arrependo-me amargamente até hoje; por isso reserve quatro dias. Mas longe de pensar que não vi arte, pois a cidade é um museu a céu aberto tamanha a quantidade de esculturas nas ruas.

Onde ficar: agora que o Google Maps mudou a vida de todos os viajantes sempre busco uma atração turística conhecida na cidade e uma estação de metrô e assim me localizo. Leambrando que se vocè fizer a reserva pelo site do Rumo a Madrid ganho uma comissão que o ajuda a mantè;lo funcionando.

Ficamos no Hostal Ciudad Condal, na calle de Mallorca, 5. Simples e bem localizado.

Primeiro Dia

DSC06647Sagrada Família: nosso primeiro programa foi visitar a igreja da Sagrada Família projetada por Antonio Gaudí. Infelizmente, ele não terminou sua obra prima e os andaimes ainda trabalham.O projeto inicial era construir um templo neogótico, mas como bom artista, ele mudou tudo e reinterpretou este estilo de modo muito pessoal. Estão lá os pórticos, as arcadas e as estátuas, mas tudo “muderno”, com curvas elaboradas e de tirar o fôlego. E olha que nem entramos no templo por causa de fila.Como quase tudo na Espanha, a igreja se viu prejudicada durante a Guerra Civil e os esboços e maquetes do mestre foram bastante danificados. Mesmo assim, é possível admirar as esculturas e as torres que tentam manter o estilo do Gaudi. Para alegria de espanhóis e catalães, em 2010, o papa Bento XVI consagrou-a como Basílica menor. Recentemente anunciaram que a obra estaria concluída em 2026 para coincidir com o centenário de morte do arquiteto. A ver…

Saímos de lá, pegamos o metrô e fomos ver o mar! Mas esse passeio pode ser feito a pé também se há disposição.

Informações: http://www.sagradafamilia.cat/sf-cast/docs_serveis/informacio.php

DSC06741Praia: Depois de cinco meses sem ver o mar contemplamos a praia em Barcelona. Mesmo ventando e fazendo frio a praia estava cheia de gente. Ficamos encantados com algumas inovações como as espreguiçadeiras de cimento voltadas para o pôr do sol, os restaurantes chiques na areia e aparelhos de ginástica em plena areia para o pessoal se exercitar, além de banheiros e chuveiros para os banhistas!

DSC06712Bicicleta: esta é uma meneira diferente de conhecer a cidade. Foi muito legal e impressionante a quantidade de lugares por onde passamos. Importante dizer que era domingo e havia menos gente na rua. Infelizmente, alguns motoristas não respeitam a faixa de pedrestes e quase fomos atropelados duas vezes.

Alugamos as magrelas por duas horas, em um cicle na beira da praia e saímos em direção ao parque “Cidadela” onde há o zoológico, fontes lindas, um mamute gigante, igreja e o parlamento da Catalunha. Este parque foi construído para a exposição universal de 1888 nos terrenos da antiga fortaleza que defendia a cidade daí o nome. A foto que ilustra a capa deste post é o Arco do Triunfo, projetado em estilo neomudéjar por Josep Vilaseca i Casanovas, para servir de entrada à Exposição.

Durante nossas pedaladas nos deparamos com o Palau de la Musica Catalana. Estava fechado, mas fiz um juramento, ao estilo Scarlett O’Hara que iria voltar e visitá-lo um dia.

DSC06791Parque Guell: a ordem do nosso passeio é um pouco doida, mas estava muito ansiosa para visitar os mosaicos fabulosos deste parque e mais obras do Gaudí. Pegamos o metrô e fomos para lá, mas notem que o metrô te deixa perto e é preciso andar uns dez minutos. Nada que não esteja sinalizado ou que você não possa seguir o fluxo de turistas.

O parque foi concebido pelo empresário Eusebio Guell e por Antonio Gaudí para a construção de casas com todas as comodidades da época. Além disso, como em todas as obras de Gaudí, tudo ali é simbólico e pensado dentro de um contexto religioso, filosófico ou mesmo político, posto que Gaudí era profundamente nacionalista catalão.

DSC06775O projeto se revelou um fracasso comercial seja pelo elevado preço do terreno, seja pela grande distância que o parque se encontrava do centro naquela época. Somente duas casas chegaram a ser construídas: uma delas é, atualmente, casa-museu de Gaudí (ao lado) e a outra, a Casa Trias. Os herdeiros do empresário venderam o terreno em 1926 à prefeitura que o abriu como espaço de lazer e cultura para os barceloneses e agora, os turistas.

Mais informações: http://www.parkguell.cat/es/

Clique aqui para o segundo e terceiro dia de viagem a Barcelona.


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers