Campos de Lavanda Brihuega

(post em 26/07/2020)


Acho que todo mundo tem vontade de visitar os campos de lanvanda do sul da França. Afinal, é perfeitamente compreensível: aquele céu azul e a fileira de flores violetas, suas folhinhas verde e o aroma que foto nenhuma vai poder captar.

Mas, como eu também tenho sonho de conhecer outros tantos lugares, acabei deixando para depois e depois e depois…

Até que minha querida amiga Suzana Paquete (q.p.d), que viajou toda a Espanha e foi a todas as festas deste país, postou fotos sobre os campos de lavanda de Brihuega e, claro, do festival de música que acontece quando as flores estão no auge.

Consultando o guru do séc. XX, descobri que a cidade fica a 90 km de Madrid de carro e, de quebra, tem um charmosíssimo centro histórico com direito à muralha e castelo. Nem preciso dizer que seria beeeem mais fácil realizar este sonho, né?

Pois alugamos um carro e pra lá fomos, dia 25 de julho, no último fim de semana, pois em agosto, começa a colheita.

E visitar o campo de lavanda é tudo isso que dizem e mais um pouco: é lindo demais da conta, sô!

Aquelas linhas retas lavandas, o cheiro suave, a terra marrom, o céu azul…é tudo tão…tão…maravilhosamente colorido que não dá pra explicar! Ainda tem o adicionl do zumbido das abelhas, mas não se preocupem: se você não mexe com elas, as bichinhas não mexerão com você. Não esqueça que você está se divertindo e elas, trabalhando.

Por causa do sol – chegamos lá às 10h – ficamos só quarenta minutos nos campos. (Eu ainda tinha que ver de perto o monumento que celebra o bicentenário da batalha de Villaviciosa-Brihuega). Dizem que é muito bom ir no por-do-sol também e no verão, o sol se põe às 22h, mas isso não posso dizer.

E depois, fomos para a cidade!

Visitei a Igreja de San Felipe, que apesar de bem modificada, ainda conserva um ar românico-medieval incrível.

Bebi águas dos doze canos. (Nota: a água dos canos vem direto do manancial e não recebem nenhum tipo de tratamento. Não há placas indicando se são potáveis, apenas que não são “vigiadas”. Eu tomei e não senti nenhuma consequência depois…).

Literalmente, parede com parede, está o lavadeiro onde as pessoas ainda podem lavar suas roupas ali.

Seguimos para a plaza del Coso, onde está a sede da prefeitura, para visitar as “Cuevas Árabes”( 2 euros). Sensacional! São 700 metros visitáveis dos 9 quilômetros de túneis que existem no subterrâneo da cidade. Eu odeio lugar fechado, mas valeu muito a pena visitá-las! A temperatura ali se conserva a 12º e, por isso, servia também como depósito de alimentos. Testemunha disso são os vasos enormes que foram feitos ali mesmo no local. Serviu de refúgio na Guerra Civil (1936-1939), pois naquelas paragens foi travada a duríssima Batalha de Guadalajara.

Depois, pausa para o café num jardinzinho super charmoso e romântico. E,claro, comprinhas: mel, sabonete e sachê de lavanda!

Só nos faltava visitar o castelo de Bermejo, a Fábrica de Panos, o museu de história de Brihuega, o museu de miniaturas, admirar a muralha…ou seja: coisa à beça!

Tirei no palitinho e decidi rumar para a Fábrica de Panos (2 euros), uma iniciativa do rei Fernando VI de fomentar a economia local. O edifício é redondo e passou por uma reforma que terminou em novembro de 2019. Agora está estalando de novo e funciona como centro cultural. No entanto, ainda não tem placas explicativas e fiquei sem entender o significado das ruínas.

No século XIX, quando a Fábrica fechou, fizeram um precioso jardim francês, com fontes, mirantes e muitas flores! Nem preciso dizer que, depois dos campos de lavanda, as fotos mais romÂnticas que você pode tirar, vai ser aqui.

Ufa! Depois almoçamos numa birosca qualquer e voltamos para Madrid, pois precisávamos devolver o carro.

No entanto, como vocês podem perceber, voltarei!!

Como chegar:

Brihuega fica em Castilla-La Mancha, província de Guadalajara. Trocando em miúdos está há um hora de carro de Madrid.

Os campos estão no meio da estrada, mas tem estacionamento gratuito. (Aliás, nem é estacionamento, mas sim um descampado para os carros pararem). Importante dizer que não há NENHUMA infraestrutura nos campos de lavanda: nem banheiro, nem água, nem lixeira. Por favor, seja respeitoso: não pise nas plantas e nem deixe o lixo no local. E por favor NÃO ARRANQUE AS FLORES!

Da cidade aos campos são cinco quilômetros, mas tenha em conta que é uma rodovia e não dá pra chegar a pé.

A prefeitura de Brihuega organiza excursões desde o centro para os campos de lavanda, mas este ano foram suspensas. Dá pra fazer também visita guiada pela cidade somente nos fins de semana.

 

 

 


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers