Dicas para visitar um museu

(post em 22/08/2014)


Sou rata de museu assumida. Desde que meu pai me levou ao Museu Nacional de Belas-Artes e ao Museu Histórico Nacional, no Rio, fui mordida pelo bichinho da curiosidade aos tempos passados. Por isso, procuro frequentar e aproveitar ao máximo o que cada instituição tem a oferecer. Assim, me atrevo a compartilhar com vocês algumas dicas ao frequentar um museu:

1- Prepare-se. Convém estudar um pouquinho antes, né? Até mesmo para você aproveitar mais o que verá. Vale tudo: desde as informações do seu guia de viagem, o site do museu e os folhetos da instituição.

03_04_2016_09_21_19

Museo Nacional del Romanticismo

2- Conecte-se. Todos os grandes museus têm páginas na Internet onde você pode ver as obras antes de sair de casa. Além disso, trazem sugestões de roteiros e destaques sobre a coleção que abrigam. O único problema é que a maioria não tem tradução para português.

3- Aprenda. Museu é, sobretudo, lugar para enriquecer-se culturalmente. Eu sei que você quer tirar foto, quer mostrar para tia Maricota que viu a obra de fulano, mas espere. Todos aqueles objetos reunidos tem um propósito. Por isso, vá ao museu de mente aberta, goste ou não do estilo da exposição.

4- Selecione. Museu grande é uma desgraça, pois são muitas obras em pouco tempo. O turista andou o dia todo e depois vai ao museu para relaxar. Ledo engano! Vai se cansar mais. Se possível tente visitá-los antes de andar pela cidade.

DSC02519

5- Escolha – Elija um período histórico ou um artista preferido e explore à exaustão. Depois, sim, visite o resto. Sempre vai ficar uma ou outra obra para admirar, mas faz parte. Quando você voltar, tia Maricota certamente dirá “mas você não viu o quadro do fulano?” Responda-a a altura: “não, tia. Terei que voltar.”

6- Respeite as regras. Não pode tirar foto? Também não entendo essa regra em tempos de Internet, mas acato. Se for permitido fotografar sem flash, aproveite! Mas não seja um turista mala que SÓ vai para isso. Aponte a câmera e vá em frente, mas fique alguns minutos contemplando as obras igualmente.

7- Desfrute. Lembre que muitas coleções representam esforços de gerações para constituir um bom número de peças. Alguns sofreram guerras, danos e até foram escondidos em lugares seguros por uma alma zelosa esperando dias melhores. Portanto, curta as maravilhas que você terá diante dos seus olhos.

HPIM0455

8- Saia do roteiro. OK. Em Madri é obrigatório visitar o Prado, Paris não é Paris sem uma passada no Louvre. Contudo, o mais legal de viajar é ir a lugares onde poucos vão. Que tal ir a um museu pequeno? Ele certamente está também nos guias de viagem, mas é ignorado olimpicamente pelos turistas. Em Madri, vá ao museu Romântico ou ao Museu Sorolla.

9- Volte. Não tenha medo de perder tempo e dinheiro. A maioria dos museus possui horários especiais quando você pode entrar de graça ou pagando menos. Prepare-se para filas, óbvio, mas pelo menos você vai tirar onda com tia Maricota que foi ao mesmo museu duas vezes!

Guia de turismo brasileiro em Madri

E, por fim: que tal fazer uma visita guiada com um guia que fala português? Clique no link para saber mais.


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers