E agora? Com quem reclamo?

(post em 30/07/2016)


Viajar é uma das mais belas experiências que um ser humano pode dar a si mesmo. Infelizmente, como tudo nessa vida, não estará isenta de contratempos e dissabores. Por isso, algumas histórias, com os nomes reais das empresas, mas não dos protagonistas, que acabaram fazendo o passeio ficar amargo.

Atraso

Casal querido resolveu fazer sua viagem pelas Zoropa de trem. Precavidos, compraram as passagens pelos site RailEurope que promete dinamizar a sua vida. E para completar, a web é em português, com domínio .com.br . Isso sim é sorte!

Depois de passarem dias incríveis no continente chegou a hora chata de voltar pra casa. Pegaram o trem em Viena-Zurique-Milão, de onde embarcariam para o Brasil. Mas no meio do caminho houve um atraso de 4 horas num dos trens e eles perderam o voo. Ora, estamos na Europa, onde a civilização é avançada e basta um telefonema para sermos reembolsados, certo? Errado!

Os funcionários das estações de trem disseram que eram com os agentes de viagem, que disseram que isso deveria ser resolvido diretamente com a empresa, que NÃO tem representante legal no Brasil, apesar de ser ponto com ponto br. Lindo, né? E agora? Com quem reclama?

Por isso, se você for comprar suas passagens on-line, não caia no conto do site fofinho em português. Ao fazer qualquer transação comercial o-line verifique realmente se a empresa está no Brasil.

Sabor de bolo

Já comentei aqui do tratamento delicado e atencioso dos garçons madrilenhos! E nem adianta reclamar, pois o gerente deve ser tão grosso quanto. Amigas de longa data estavam almoçando na Casa Nicasio e chegou a hora da sobremesa. O garçom começa a falar devagar como um narrador de corrida de cavalo e finaliza com um “bizcocho” (que é “bolo” em espanhol). Uma delas pergunta:

– Bizcocho de que?

– É um “bizcocho” típico da Espanha. –

  • Mas de que sabor? – insistiu.

 

  • Sabor de bizcocho. – respondeu impaciente.

Acho melhor pedir um flan mesmo.

PS: Não é uma crítica ao restaurante em si, pois em quase todos os estabelecimentos em Madri, a coisa não muda muito de figura. A Casa Nicasio te bom preço e a comida lá é boa,

Carrinho de bebê só no Aeroporto

Viajamos com o Pimpolho de Easyjet para Lisboa e como de hábito, entregamos o carrinho na porta do avião. Ao chegar, a aeromoça avisou que o carrinho seria entregue com as malas. Hein? O Pimpolho agora está bem grandinho (e bem pesadinho), mas não há de ser nada! Acontece que as esteiras para voos domésticos são exatamente do outro lado do Aeroporto e tivemos que andar um bom pedaço segurando a nossa preciosa carga.

Dirigi-me à loja da Easyjet protestando e pedindo que eles poderiam ter dado o carrinho ao desembarcar como a concorrente fazia ou, ao menos, avisar que seria entregue no aeroporto. A moça simplesmente me olhou e disse que eu deveria ter prestado mais atenção. Imaginem a minha cara de feliz ao ouvir esta resposta!!

Fica a dica, dona Easyjet: entregue os carrinhos para os pais/ responsáveis assim que desembarcarmos, por favor!


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers