Friedenskirche – Igreja da Paz

(post em 28/10/2017)


Sabe aquela piada: por quê o cachorro entrou na igreja? Porque estava a porta aberta! Poderia ser aplicada a minha pessoa. Não posso ver a porta de um templo aberta que vou entrando. Adoro ver a arquitetura local, as pinturas, a decoração, por onde entra a luz, etc. Aproveito, e faço minha oração ao Todo-Poderoso.

Por isso quando soube que a FriedenskircheIgreja da Paz, de confissão luterana, estaria aberta para uma visita guiada durante a XII Semana de Arquitetura em Madri, nem pensei duas vezes para me inscrever. A igreja fica no Paseo de la Castellana, mas passa desapercebida, por motivos históricos e culturais.

Quando pensaram em construi-la a Espanha já tinha relaxado a restrição religiosa e autorizado, em teoria, a cultos públicos de outras confissões religiosas. Na prática, as autoridades ainda colocavam todo tipo de restrição para a abertura de igrejas outras confissões religiosas. Para vocês terem uma ideia, o primeiro culto público protestante na Espanha – anglicano – ocorreu em 1869, em Sevilha.

DSC01053

Mas o que isso tem a ver com a Igreja da Paz? Bem, ela foi construída por expresso desejo do então imperador alemão da época, o Kaiser William II (1859-1941). Para mostrar o quão importante era sua nação, levantou um templo em Jerusalém, outro em Roma (!!) e o terceiro, em Madri, na capital do país que sempre defendeu a fé católica em inúmeras guerras.

Para facilitar a empreitada o terreno escolhido foi ao lado da embaixada alemã (que já não está mais ali) com o intuito de fazê-la parecer uma capela anexa. O projeto escolhido foi o do arquiteto Richard Schultze, responsável pelas obras de todo império, que consistia num complexo discreto, onde da rua se vê primeiro a casa paroquial e pois a igreja ficaria ao fundo, ao contrário do que se faz habitualmente.

DSC01075

Por outro lado, as autoridades exigiram que a construção fosse feita por uma empresa espanhola e com material adquirido na Espanha. Aceitos todos esses entraves burocráticos, o templo foi concluído em 1909. Discreto, da rua vemos primeiro a casa paroquial, pois a igreja fica ao fundo, ao contrário do que se faz habitualmente.

Para entrar, no pórtico há os dizeres Paz Vobiscum – a paz esteja convosco – como se vê na foto que abre este post. Atravessamos um átrio rodeado de colunas que terminam com capiteles enfeitados em motivos vegetais, porém um deles, com a águia, símbolo do império alemão. O estilo da igreja é neo-românico, um sinal de boa-vontade com os anfitriões e assim encontramos, arcos, capiteles decorados e lindos mosaicos no altar principal. O mais vistoso deles, o Cristo Pantocrator, ladeado de dois anjos que oferecem a comunhão e uma coroa imperial; em baixo, no altar, o Cristo Ressucitado.

DSC01082

Encontramos, como é habitual nas igrejas luteranas, as Bíblias enfileradas nos armários, os quadros que indicam as leituras bíblicas que serão feitas no culto e os números dos hinos que serão cantados. Porém, podemos contemplar o escudo do império alemão e do reino da Espanha nas laterais, relevos dos animais que representam os Evangelhos esculpidos nos púpitos e um quadro de Martinho Lutero pendurado na parede.

DSC01100

Na Guerra Civil (1936-1939), assim como aconteceu com várias igrejas católicas, a Igreja da Paz foi saqueada e transformada em depósito, mas ao menos não foi queimada. A igreja foi transformada em hospital para os estrangeiros residentes na capital espanhola e refúgio para os alemães que não conseguiram voltar à sua pátria.

Estava eu escutando todas essas maravilhas, quando o guia nos contou que as cadeiras junto ao corredor eram originais e se encontravam ali desde a inauguração da igreja, Imediatamente dei um salto, porque havia sentado justamente em uma delas!

DSC01101

Hoje, a Igreja da Paz é utilizada por três denominações protestantes. Da mesma forma, é bem ativa na comunidade alemã de Madri promovendo bazares, festivais, corais e trabalhos manuais. Na Eurocopa e na Copa do Mundo, transmitem os jogos da seleção, por exemplo. Já pensou se eu tivesse ido naquele fatídico dia? Ainda bem que fiquei em casa!

Onde? Paseo de la Castellana, 6. Metrô Serrano ou Colón, L4.

Para completar o roteiro alemão em Madrid visite o Parque de Berlim.


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers