Max Bill

(post em 22/10/2015)


Este outono vai ser quente. Ao menos, se considerarmos as exposições que estão em cartaz em Madri, teremos motivo de sobra para combater o frio que se instala e comparar os tons ocres dos parques com as cores vivas de Max Bill, Pierre Bonnard, Edward Munch e Wassily Kandinsky. Todos estes artistas estão em cartaz com belas retrospectivas que nos permitem descubri-los em montagens cronológicas ou temáticas que lançam outras luzes sobre a obra e o processo de criação.

Na Fundação Juan March, encontramos a retrospectiva dedicada a Max Bill. Ali está um pouco de tudo do prolífico artista suíço: quadros, cartazes, esculturas, projetos de arquitetura, ilustrações para livros. Nascido em 1908, Max Bill é considerado um artista completo por haver transitado em campos distintos da arte visual. A exposição é altamente recomendável para quem tem trauma de geometria e arte abstrata em geral, como essa servidora que vos escreve. Quantas figuras geométricas você consegue ver nesta figura?

max-bill-variation-1-poster-xl3

Perceberam? Por que meus professores de geometria não me explicaram desta maneira?

Considerado um degenerado pelos nazistas – o que para mim é um elogio – Max Bill se dedicou a explorar as formas e utilizava as cores para ressaltar as figuras geométricas que desejava. Ao contrário de Josef Albers, professor de Bill na Bahaus, que privilegiava a cor e não as formas nas suas últimas séries. Olhem só o efeito belíssimo que Max Bill consegue ao distribuir cores frias e quentes neste quadro:

max-bill

 

Como era um grande fã de jazz, ele criou quadros de “variações sobre o mesmo tema” exatamente como fazemos na música. Assim, como um compositor toca um tema – melodia – de distintas maneiras, ele elaborou uma série de obras que partem do mesmo princípio e vão sendo desconstruídos e reinterpretados de diferentes maneiras.

A exposição teve curadoria do filho dele e ainda traz objetos como relógio de paredes e móveis, além das esculturas em latão polido. Para nós, brasileiros, é fácil perceber que os artistas que povoaram Brasília com suas obras foram influenciados por Max Bill. Afinal, todos seguiram o caminho do neoconcretismo. Lembrei muito de Amílcar de Castro e tudo começou a fazer sentido na minha cabeça!

1444830673794

Assim, podem vir sem medo e não percam esta fabulosa exposição temporária em Madri.


Onde? Fundación Juan March – calle Castelló, 77 – Metrô Nuñez de Balboa – L9

Quando ? 16 de outubro a 17 de janeiro de 2016.

Gratuito.

 


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers