Monumento em recordação às vítimas do 11 de março

(post em 17/05/2014)


No século 19, as cidades de todo mundo se encheram de estátuas para DSC07412 celebrar seus heróis fossem eles militares, artistas ou políticos. A tendência continuou no século 20, mas cidades como Madri, tem a dura tarefa de não deixar cair no esquecimento às vítimas de atentados terroristas pepetrados pelo ETA ou por outras organizações que defendem a liberdade matando gente. O maior massacre sofrido pela Espanha aconteceu no dia 11 de março de 2004 quando trens que vinham da cidades vizinhas com destino a Madri foram explodidos por uma célula terrorista yahadista.

 

DSC01000Para que o atentado fosse sempre lembrado vários monumentos foram inaugurados em Madri. O mais significativo deles está na própria estação de Atocha. Um cilindro vitrificado onde “a luz dedica um momento do dia a cada pessoa ausente” segundo a própria definição dos autores. Por fora, o monumento é medonho. Por dentro, nada mais entrar, nos deparamos com a lista dos mortos naquele dia. Entramos e o efeito da luz do sol jorrando sobre a sala azul é magnífico e remete à paz e à tranquilidade. Seria lindo -e é – porém, quando nos aproximamos e lemos em vários idiomas frases ditas por pessoas a respeito do atentado é de partir o coração. Mas é melhor assim do que nada!

Saiba mais sobre outros monumentos que recordam o atentando clicando aqui.

Onde? Estação de Atocha. Metrô Atocha-Renfe, L1.

Quando? Todos os dia de 10 às 14h e de 17h às 20h. Gratuito.

 


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers