Museu Cerralbo

(post em 05/11/2013)


DSC00722O museu Cerralbo está localizado no antigo palacete do marquês de mesmo nome. O rapaz nasceu em boa família e, como era muito inteligente, administrou os bens com sabedoria e se dedicou a colecionar objetos de arte e a patrocinar escavações arqueológicas. Impossível visitar este museu e não traçar paralelos com o museu Romântico, o museu Joaquín Sorolla e a Fundação Lázaro Galdiano.

 

 

 

Aliás, o marquês de Cerralbo ajudou na criação dos dois primeiros e recebia o segundo nos seus salões; por isso prepare-se para se perder na história cotidiana do século 19 e na história das peças de diferentes épocas artísticas. DSC00796Como o marquês vivia mais tempo viajando do que morando em Madri, a casa foi concebida como um misto de galeria de arte, ponto de encontro da sociedade da época e, como não, residência. Além do mais, o domicílio já funcionava como um museu, mesmo quando o nobre vivia. No primeiro andar ele expunha suas coleções em salas dedicadas às armaduras, quadros, bustos, relógios e demais objetos de arte que foi adquirindo ao longo da vida. O segundo era destinado à biblioteca, salão de baile, sala de jantar e bilhar.

 

DSC00724A decoração da casa reflete a personalidade do seu proprietário e assim nos deparamos com uma profusão de espelhos, fotografias com dedicatórias, lustres (não deixe de olhar para cima), objetos de uso cotidiano como garrafas e copos. Os aposentos privados foram mudando ao longo dos anos, mas lá é possível ver o quarto de banhos – banheiro é outra coisa, meu povo – e o quarto do marquês. Este conserva um móvel curioso que ele usava para barbear-se. Trata-se de uma espécie de cabideiro de madeira, com um espelho redondo na ponta. Embaixo, em outro suporte de madeira, tesouras, escovas, navalhas e provavelmente algum recipiente para a água e o sabão. DSC00736

 

 

Para chegar ao segundo andar se sobe uma escada maravilhosa com paredes ricamente ornamentadas com afrescos, tapetes, espelhos e jarros. Como no século 19 não havia tantos espaços de sociabilidade como hoje, os nobres ofereciam jantares e bailes em suas casas. O marquês também o fazia e reunia a fina flor da sociedade madrilenha entre artistas e políticos. Havia um cômodo também só para “meninos” que tinha decoração mourisca e servia de salão fumador. Por outro lado, antes de dançar, as mocinhas podiam retocar a maquiagem em um quarto só para elas.

DSC00816

O salão de baile. Refletido no espelho, ao alto, se pode ver onde ficava a orquestra.

Apesar de haver adotado os filhos da sua esposa, o marquês decidiu doar sua fabulosa residência com seus pertences ao Estado e ao Museu Arqueológico Nacional. Depois de algumas décadas de abandono, a casa foi reformada e aberta ao público. Que sirva de exemplo para os ricos de hoje.

Quando? De terça a sábado de 9:30 a 15:00 horas Quinta de 17:00 a 20:00 horas Domingos e feriados de 10:00 a 15:00 horas

Onde? c/ Ventura Rodríguez, 17 28008 Madrid, España Metrô: Ventura Rodríguez (L3), Plaza de España (L3 e L10), Noviciado (L2) e Príncipe Pío (L6 y L10) Trem (Cercanías RENFE) : Príncipe Pío linhas C1, C7 e C10.

Quanto? Entrada normal: 3 euros Entrada gratuita: Sábados a partir de las 14:00 horas , Quinta de 17:00 a 20:00 horas (abertura extraordinária), Todos os domingos Cidadãos maiores de 65 anos da União Europeia, Iberoamérica (Brasil incluído) e estrangeiros residentes na Espanha. Quer aproveitar melhor seu tempo num museu ? Leia as minhas Dicas para visitar um museu. View Larger Map


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers