Resultado da sua Busca

  • Praça Isabel II

    post em 21/08/2014

    A praça Isabel II fica nos fundos do teatro Real, no final da calle Arenal e é uma das saídas da estação de metrô Ópera. Reformada milhares de vezes aos gostos urbanísticos de cada época, o espaço atrai públicos de todas as idades como jovens com seus skates, frequentadores do teatro e os turistas que passam por ali rumo ao Palácio Real e à Catedral. Apesar de toda modernidade, muitos sequer imaginam que naquele local existiam as fontes de água que abasteciam a cidade e onde várias pessoas acudiam diariamente para buscar o precioso líquido nos Caños del Peral. Um pouco desta história está preservada na estação de metrô e pode ser visitada diaria e gratuitamente. No centro da praça, se encontra a escultura da soberana Isabel II que reinou de 1833-1868. Esta rainha adorava as artes e principalmente, os espetáculos, foi a responsável pela remodelação da praça e impulsora da construção do teatro Real. Aliás, este foi inaugurado no dia do seu aniversário e outro teatro que também leva esta honra é o da Zarzuela. O monumento é de autoria de José Piquet y Duart e mostra a soberana olhando altiva e segurando o bastão de mando. Uma pena que ela está de costas para o teatro que ajudou a fazer. Igualmente, há um ex-cinema de rua, o Real Cinema, que foi inaugurado em 1920, mas conheceu a agrura de ser bombardeado durante a Guerra Civil e demolido. Reaberto na década de 60, assim como tantos outros cinemas não aguentou a concorrência e atualmente funciona somente como teatro.  ...

    » Ler mais
  • Museu de San Isidro – As origens de Madri

    post em 10/08/2014

    É impressionante como um simples passeio, às vezes, sai muito melhor que o esperado. Bem, como é certo que o contrário também pode ser verdade! Enfim, por sorte, deu-se o primeiro caso quando fomos caminhar pelo bairro de La Latina e, surpresa das surpresas, encontramos aberto o museu das Origens, que conta a história de Madri.Além disso, sempre tem exposição temporária e tudo isso é gratuito. A construção é uma recriação de um palacete do século 16, já que o original foi derrubado na década de 70, do século passado. Ainda que não seja autêntico é possível admirar o belo pátio com uma fonte e a capela privativa com pinturas louvando a San Isidro. Ora, e porque justo San Isidro, padroeiro de Madri? Simples: o Museu está localizado onde teria sido a casa dos patrões de São Isidro. Lá está o poço onde o filho dele caiu, mas graças às orações do santo, as águas cresceram e o menino foi resgatado são e salvo. Vou contar um segredo: São Isidro é forte e é amigo do Homem, pois o poço é fundo, viu... A coleção exposta também é muito interessante. Através de telas em 3D, o visitante conhece os animais que habitaram o rio Mazanares e podem ver os fósseis de elefantes, cavalos e touros que viveram por ali. Emocionante ver o habitat desses animais serem recreados na sua frente. Igualmente é possível admirar, no sotão, vasos, utensílios domésticos e de caça dos primeiros povoadores da região passando pelos romanos, visigodos, árabes e cristãos. Vale destacar as maquetes como a da primeira catedral de Nossa Senhora de Almudena e da igreja mais antiga da cidade, a de São Pedro. Também a maquetes que mostram a evolução urbana de Madri e reproduzem como eram as casas dos madrilenhos em diversas épocas. Agora vocês já sabem. Entre os milhares de bares de La Latina e a Real Igreja de San André, vale a pena visitar o museu das Origens e saber um pouco mais sobre a história de Madri. Onde ? Plaza San Andres, 2 Quanto ? Gratuito Quando ? De terça a domingo: de 9:30 a 20 horas Agosto: de terça a sexta de 9:30 a 14:30 horas e sábados, domingos e feriados de 9:30 a 20 horas Fechado: todas as segundas, 1º de janeiro, 1 de maio y 25 de dezembro. ...

    » Ler mais
  • Trem Medieval a Siguenza

    post em 08/08/2014

    Imagina você ir a uma estação de trem e se deparar com Dom Bernardo de Agén, bispo de Siguenza, cavaleiros, uma donzela que só pensa em casar, músicos e o bobo da corte. Eles não só estariam ali, como embarcam no trem com você e contam o que se passou no século 12 quando o próprio bispo comandou as tropas que conquistaram Siguenza aos cristãos. O Trem Medieval de Siguenza é uma iniciativa da companhia ferroviária da Espanha, a Renfe, que promove passeio especiais a algumas localidades nos arredores de Madri com encenação, degustação de quitutes e passeio guiado. A companhia oferece também o Trem de Cervantes onde Dom Quixote nos conduz a terra do seu criador, Alcalá de Henares; e o Tren de la Fresa (Trem dos Morangos), onde somos levados a Aranjuez para conhecer o palácio onde a família real passava os verões. Por fim, também há o trem Trem da Natureza, onde grupos conhecem um pouco mais da flora e fauna das serras de Madri. Voltando a Siguenza. O trem sai da estação de Chamartín e em 1h 15min chega a localidade. Ali somos repartidos em grupos e conhecemos a cidade com uma guia que nos conta sobre o assédio dos exércitos, as diputas entre as famílias nobres da região e a respeito das querelas entre o bispo e os reis de Castilha. Soma-se a toda essa informação detalhes sobre a arquitetura e gente ilustre que é oriunda de Siguenza. O passeio também percorre a praça central onde há uma feira com produtos variados e também ao Parador local. Aliás, todos os presentes concorrem há uma noite no luxuoso hotel. Mais uma cortesia da Renfe para os turistas! Infelizmente, não fui a contemplada... Há uma pequena pausa para o almoço e depois somos conduzidos à belíssima catedral.Depois da conquista da cidade, dom Bernardo, o bispo-general, começou a levantar a catedral. Esta ficou localizada sobre as antigas ruínas de uma igreja visigoda, como era costume naquele tempo.Como todo templo milenário, a igreja sofreu alterações no exterior e no interior: se a aparência é românica, quase uma fortaleza, dentro se pode ver vitrais, arcos cruzados de inspiração gótica e altares barrocos. No entanto, a maior atração é a estátua do doncell escultura funerária feita pela família de Martín Vázquez de Arce quando este foi morto na Guerra de Granada, em 1486. A estátua é um belo exemplo de transição da arte medieval e renascentista e é emocionante vê-la de perto. Esse passeio agrada a crianças de todas as idades, mas recomendo quem estiver com crianças a levá-las. Mesmo que o pequeno não fale espanhol, os atores tocam, cantam e fazem palhaçadas que se entendem em qualquer idioma. Quando ? De abril a a junho e de setembro a novembro, sempre aos sábados. De 10h às 21h. Quanto ? 30 euros Mais informações (em espanhol): http://www.renfe.com/ofertas/oferta_tMedieval.html...

    » Ler mais
  • Palácio de Fomento – visitas guiadas

    post em 03/08/2014

    Este ano, o palácio de Fomento - atual sede do ministério da Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente - abre suas portas para visitas guiadas gratuitas e pagas. As primeiras são realizadas sábados e domingos ao 12h e as segundas tratam-se de visitas teatralizadas onde atores interpretam uma peça e assim explicam a história do edifício. Esperamos que esta iniciativa perdure por muitos anos. Mais informações abaixo. No século 19, a Espanha havia crescido e modificado bastante sua estrutura política. Era preciso incentivar e controlar a indústria nascente, instruir os cidadãos e administrar a agricultura. Por isso, foi criado o ministério de Fomento que abarcava essas especialidades, além da instrução pública. O edifício foi construído sobre os alicerces da Escola Central de Artes em Ofício que havia começado a levantar em 1881. O arquiteto que assumiu a empreitada foi Ricardo Velázquez Bosco, o mesmo autor do palácio de Velázquez e de Cristal no parque do Retiro. A fachada é neoclássica com belas colunas e duas cariátides representando a Indústria e o Comércio; e as Artes. Por dentro, destaca-se a escada monumental que nos leva ao interior dos escritórios. Na minha visita ganhei um verdadeiro bonus: havia uma senhora fazendo o tour cujo pai havia trabalhado lá. De vez em quando ela se virava pra neta e dizia alguma anedota da época. Adorei! Aliás, o edifício conta com elevadores e quem tem problemas de locomoção e carrinhos de bebês pode ir sem problemas. Começamos o passeio com a fabulosa escada imperial, decorada com mármore de Carrara. No teto, uma impressionante cúpula com afrescos pintados por Alejandro Ferrant e Manuel Dominguez com figuras alusivas às responsabilidades do ministérios quando foi criado. Seguimos a visita vendo a escada e o elevador privativo do ministro, a sala de reunião, e alguns escritórios que tem obras de arte como o tapete confeccionado na Real Fábrica de Tapetes e belas pinturas no teto. Interessante também é o uso que se fez de materiais que eram novidades na época como o ferro e o aço. Passamos por uma escada internada ricamente trabalhada e chegamos à galeria dos antigos titulares da pasta retratados em pinturas a óleo. Por se tratar de um edifício em uso, as visitas só podem ser feitas sábado e domingo e devem ser agendadas com antecedência. Portanto, garanta o seu lugar. Visitas guiadas gratuitas: Onde? Pº de Infanta Isabel, 1.Metrô: Atocha Renfe (línea 1) Quando ? Sábados (que não são feriados) e domingos, às 12h. Reservas: de segunda à sexta, de 10h às 14h. Telefone: 91 347 50 68. Apresentar documento de identificação como o passaporte. Visitas teatralizadas pagas: Quando? Sextas e sábados, às 20h. Quanto? 8 euros Realizam-se no mesmo local e se reservam pelo mesmo telefone. Mais informações em espanhol: http://www.magrama.gob.es/es/ministerio/palacio-de-fomento/visitas-guiadas/...

    » Ler mais
  • Madri: quantos dias preciso ?

    post em 22/07/2014

    Na hora de planejar a viagem são muitas as perguntas. Que roupa levar ? Onde ficar? Quanto vou gastar ? E, principalmente: quantos dias preciso para conhecer a cidade X? Como tudo nesta vida, a questão tem lá sua dose de subjetividade. Meu sonho sempre foi conhecer Paris e a primeira vez que fui lá fiquei vinte dias, Versalhes incluída. Loucura ? Não para mim! Some a isso que não gosto de fazer 40 cidades em 15 dias. Como disse, a questão é pessoal e claro, financeira. Por isso, para quem deseja conhecer o mínimo de Madri, na opinião desta servidora que vos escreve, é necessário três dias para a cidade. Se você quiser ir a Toledo, por favor, então fique quatro e não sacrifique seus preciosos dias madrilenhos para ir a esta fantástica cidade. Dito isso, o que nos resta é fazer um mínimo de pesquisa. Gosta de arte em geral ? Aqui é o seu lugar! Adora pintura ? Seja bem-vindo! Sair pela noite? Pode vir! E, principalmente, gosta de andar pelas ruas sem destino? Então, venha para Madri hoje mesmo. Ok. E agora? O que fazer em Madri nestes três dias? - Primeiro dia: sugiro uma caminhada pelo centro para conhecer um resumo de Madri: Porta do Sol, Palácio Real, Catedral e Plaza Mayor. Em seguida, escolha um dos três grandes museus. Minha sugestão é começar logo pelo Prado. - Segundo dia: Para começar o dia, passe antes no museu Reina Sofia e se delicie com o melhor da arte moderna e contemporânea. Proponho uma ida ao bairro das Letras e à La Latina onde você encontrará poesias pelas ruas, pinturas pelas paredes e bares de todos os estilos. Para ver a natureza e mais esculturas legais, o parque do Retiro é a grande pedida. - Terceiro dia: Agora que você está familiarizado com o centro, que tal sair para os bairros mais residenciais? Visite o parque do Retiro e o bairro de Salamanca. Depois da caminhada, vá ao museu Thyssen- Bornemisza. Se você tem mais dias na cidade continue andar por aí. Ou se preferir dá pra fazer algumas viagens no melhor estilo bate-e-volta a Toledo, Alcalá de Henares, Segóvia, Aranjuez e até mesmo Buitrago de Lozoya por exemplo.    ...

    » Ler mais
  • Biblioteca Nacional

    post em 07/07/2014

    A Biblioteca Nacional da Espanha tem suas origens na Real Biblioteca fundada em 1711 por Felipe V. É possível fazer a visita guiada ou apenas desfrutar das exposições temporárias gratuitas que a Bilioteca oferece. O acervo da biblioteca foi enriquecido sucessivamente pelos reis ou doações de nobres. No século 19, quando os bens eclesiásticos passaram às mãos do Estado, várias obras guardadas nos conventos e mosteiros foram levados para o depósito da instituição. Há uma sede em Alcalá de Henares que abriga parte desta fabulosa coleção.Conheço bem o edifício porque pesquisei lá para minha dissertação de mestrado e era maravilhoso entrar naqueles salões cheios de livros ou seja cheio de conhecimento me esperando. O salão de leitura tem gravado nas paredes o nome dos grandes escritores espanhóis; no teto, os nomes das províncias e pelos corredores, quadros com os ganhadores do prêmio Cervantes. O edifício onde está instalada a biblioteca é de estilo neoclássico e foi concluído em 1892. Na escada principal estão esculturas dos grandes protetores e escritores espanhóis como San Isidoro de Sevilha ou Alfonso, o Sábio. Contudo, também no jardim há espaço para os contemporâneos como o poeta Antônio Machado. A escultura, uma cabeça em bronze feita por Pablo Serrano, está sobre um pedestal de Alberto Corazón onde se lê os versos mais célebres do escritor: Caminante no hay caminho/se hace camino al caminar.O mais curioso é que a Biblioteca Nacional compartilha seu edifício com o Museu Arqueológico Nacional e assim é possível programar duas visitas a dois lugares interessantíssimos durante sua caminhada pelo bairro de Salamanca.   Onde ? Paseo de Recoletos, 20. Metrô: Colón ou Serrano, L4 Quando? De segunda a sexta, de 9:00 a 21:00 Sábado De 9:00 a 14:00 Quanto? Entrada gratuita Visitas guiadas: Para grupos: de terça a sexta de 11 a 14 h (só inclui o Museo). Duração aproximada: 60 minutos. Terça às 17:30 h, quarta e quinta às 17 h. (inclui visita ao Museu e ao Salão geral de leitura) Duração aproximada: 90 minutos. Individuais: inclui visita ao Museu e ao Salão geral de leitura. Quarta e quinta às 10:00 h. Terça e sexta às 17:00 h e sábados às 12:00 h. Consultar o site da Biblioteca para mais detalhes. Informação disponível em espanhol, inglês e francês.  ...

    » Ler mais
  • Proclamação do Rei Felipe VI

    post em 13/06/2014

    Quem estará em Madri no dia 19 de junho será testemunha de um acontecimento histórico: a proclamação do rei Felipe VI. Afinal, não é todo dia que a gente vê um monarca subindo ao trono.Se vocês quiserem saber mais sobre todos quiprocó em torno da abdicação e os prós e contras basta ler este post que escrevi no meu outro blog. É bom lembrar que o palácio Real estará fechado estes dias. Aqui vou tratar de um assunto mais turístico: como e onde será a cerimônia? Tudo começa dia 18, às 18h, no Palácio Real. No dia seguinte, às, 09:30, no palácio da Zarzuela - nos arredores de Madri - o príncipe Felipe recerberá a faixa de capitão geral do Exército do seu pai. Dali, ele e sua família seguirão para o Congresso Nacional, ao pé do Bairro das Letras e da Fonte de Netuno e devem chegar às 10:30. Já imaginam o tanto de gente que estará ali. Por isso, se você gosta de multidões é o seu lugar, mas para quem não curte, programe outra visita neste horário. Após o juramento e os discursos, lá pelas 11:30, o agora rei Felipe VI e a rainha Letízia, a Princesa de Astúrias, Leonor e a infanta Sofia, vão percorrer o Paseo del Prado, calle de Alcalá, Gran Vía, plaza de España e plaza de Oriente, em direção ao Palácio Real. Se você quer realmente levar um testemunho desse dia, se posicione em algum desses lugares. Está previsto que os novos e antigos reis saúdem ao público do balcão real. Outro lugar a ter em consideração para fazer a sua foto. No mais, curta o momento, pois sabe Deus quando veremos outro rei subir ao trono....

    » Ler mais
  • Casa Museu Lope de Vega

    post em 24/05/2014

    A Casa Museu Lope de Vega está no Bairro das Letras. Aliás, este bairro recebe este nome por conta dos inúmeros escritores que moraram ali como Cervantes, Calderón de la Barca, Tirso de Molina e Quevedo. Também Félix Lope de Vega y Carpio viveu os últimos vinte e cinco anos de sua vida. Escritor, soldado, secretário de nobres e sacerdote, a vida de Lope de Vega seria um bom enredo para suas próprias peças. Mesmo que você nunca tenha lido ou tenha visto alguma das suas peças, vale a pena agendar uma visitinha e assim aprender um pouco mais da vida do ilustre madrilenho nascido em 1562. A residência foi herdada por sua filha e posteriormente foi passando por proprietários que nem sabiam que o ilustre autor havia morado ali. Graças ao esforço da Real Academia Espanhola a morada foi comprada, restaurada e finalmente aberta ao público em 1941. Assim, poucos objetos são originais, mas o mobiliário procura resgatar como seria a casa de um homem abastado do século 17. Autênticos, provavelmente, são as imagens e relicários que estão na capela, guardadas no convento das Trinitárias, onde uma das filhas de Lope de Vega professou como monja e chegou a ser abadessa. Só é possível conhecer a casa marcando hora e com visita guiada. Ficamos sabendo que Lope de Vega adorava cultivar seu jardim e sua horta, dos problemas que teve com suas esposas e amantes, dos 17 filhos e que poucos sobreviveram, o que lhe causou crises de depressão no final da vida. Além disso, aprendemos sobre a história de Madri e das residências de antanho. Uma das características eram que as casas não tinha sala de jantar. A mesa era posta segundo a conveniência dos donos e daí vem a expressão "por a mesa e tirar a mesa". Ao sair do museu, complete seu itnerário Lope de Vega dando uma chegada no convento das Trinitárias (na rua ao lado) e na igreja de São Sebastião onde o escritor estaria enterrado. Coloquei o verbo "estaria", pois os ossos de Lope de Vega se perderam assim como os de Carvantes, Velázquez e tantos outros. Uma pena. Onde? Calle Cervantes, 11 Quanto ? Gratuito. Quando? Só é possível visitar a casa mediante visita guiada. Portanto, ligue antes ou mande um email. Há visitas em espanhol, inglês e francês. Duram aproximadamente 45 minutos. Terça a domingo de 10:00 a 15:00 h. Informações e Reservas Tel. 91 429 92 16 casamuseolopedevega@madrid.org Quer aproveitar melhor seu tempo num museu ? Leia as minhas Dicas para visitar um museu....

    » Ler mais
  • Sobre livros e fotografia

    post em 24/05/2014

    Este mês, Madri acolhe dois grandes eventos culturais que acontecem em vários pontos da cidade: a feira do Livro e o PhotoEspaña. Sou frequentadora assídua e posso dizer sem erro: imperdível. Aproveite e encontre um espaço na sua agenda também! Feira do Livro de Madri - no Parque do Retiro de 30 de maio a 15 de junho mais de quatrocentas editoras e livrarias especializadas ou não estarão ali vendendo livros, promovendo tardes de autógrafos e até palestras com os autores. Os preços não diferem muito da loja habitual. mas sempre tem promoções e principalmte, novidades. Aliás, você já deu uma lida no post sobre as livrarias de Madri ? A feira abre de segunda a sexta de 11 às 14h e de 18h às 21:30. Sábados, Domingos e feriados 11:00 às 15:00 e de 17:00 às 21:30. PhotoEspaña - Mais um programão para quem está pela capital espanhola de 4 de junho a 27 de julho. Neste período se realiza anualmente a PhotoEspaña misto de exposições, conferências, concursos, oficinas e debates sobre fotografia. Cada vez mais presente em nossas vidas, o projeto busca reunir as mais diversas expressões do ato de clicar (ou apertar um botão na tela). Há mostras que contemplam a fotografia do começo do século e outras que exibem a vanguarda da era digital. São tantos artistas, lugares e horários que deixo a vocês a site da programação oficial (em espanhol). Como visitarei algumas, prometo compartilhar minhas experiências aqui no Rumo a Madrid. Site oficial: http://www.phe.es/  ...

    » Ler mais
  • IV Centenário de morte de El Greco

    post em 23/05/2014

    Este ano o mais espanhol dos artistas gregos completa 400 anos de falecimento. O pintor, nascido em 1541, aprendeu a pintar na sua terra natal, mas desenvolveu sua obra artística na corte de Felipe II, principalmente na cidade de Toledo. A vizinha mais famosa de Madri - e que merece uma visitinha - preparou um ano inteiro de homenagens ao filho adotivo. Infelizmente, a mostra termina em 14 junho, porém aqui em Madri três grandes museus abrem suas portas para receber e discutir obras do artista. Museu do Prado - de 24 de junho al 5 de outubro. Chamada 'El Greco y la pintura moderna', o objetivo será ressaltar a importancia que o redescobrimento da figura do artista teve para a pintura nos séculos 19 e 20. Preço e horário a confirmar. Real Academia de San Fernando - entre 10 setembro e 8 novembro acolhe a exposição Entre el Cielo y la Tierra: 12 miradas al Greco 400 años después. Museu Thyssen - para quem não vem a Madri este ano pode se deliciar com o estudo técnico que este museu fez sobre quatro obras de El Greco. Com versões em espanhol e inglês. Aproveitem!...

    » Ler mais

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers