Resultado da sua Busca

  • Onde comer barato em Madri ?

    post em 11/08/2014

    Veio para a Espanha no esquema mochilão? Até os fast-food estão caros? Indico lanchonetes que vendem comida num preço razoável para comer bem e ainda saborear um pouco da comida espanhola. Lembrando que na Espanha a comida é relativamente barata se comparada a outros países, pois é possível almoçar bem durante a semana pedindo um menu de 12 euros com bebida, sobremesa e pão incluídos. Cuidado que os restaurantes costumam aumentar o preço no fim de semana. Leia mais conselhos sobre como usar um restaurante aqui e também este post para entender a diferença entre tapa, pinchos e bocadillos. Museu do Jamón (Museo del Jamón) - diz a piada que três são os museus mais visitados da cidade: o Prado, o do Real Madri e o Museu del Jamón. Deve ser verdade, pois sempre tem (muita) gente em qualquer um dos numerosos estabelecimentos espalhados por Madri, A decoração é inexistente, salvo pelas numerosas patas de presunto penduradas, a e os preços variam se você quer comer no balcão, em pé ou sentado. E vale a pena! Uma xícara de café com leite custa 1 euro e um sanduíche de jamón 1 euro também. Mas não espere nada demais no quesito apresentação e serviço. Calle Gran Vía, 72 Paseo del Prado, 44   Comida turca Uma pedida para a turma dos trocados contados são os Instambul Doner Kebab. Estes são restaurantes criados por imigrantes turcos na Alemanha que se espalharam por toda Europa. Na verdade, eles servem a versão-para-europeus-da-comida-turca. Não importa. Os pratos são maravilhosos, baratos e fartos. Em Madri é possível encontrar dezenas deles e sair de lá com o estômago forrado. Dá só uma olhada no exemplo acima. Endereço: Calle Del Arenal, 18 100 Montaditos O "100 Montaditos" atende ao público dos durangos servindo sanduíches bons, baratos e cerveja ruim e barata. Como a franquia consegue isso? Com a fórmula mais básica do capitalismo: cortando a mão de obra. No "100 Montaditos" você mesmo solicita e pega seu pedido. Outra maneira de ter muito público são os bancos desconfortáveis ao invés de cadeiras; além dos decibéis bem altos dos frequentadores assíduos, ninguém consegue ficar ali muito tempo. No mais, sobram fotos da história local nas paredes e muita conversa jogada fora. Exatamente como deve ser um bar desta categoria. A foto que abre este post é de lá. Endereços Existe, literalmente, sempre um “100 Montaditos” perto de você. Porém, indico três para facilitar a sua vida: Calle Felipe V, 4, Plaza Del Oriente Gran Vía, 63 Calle Montera, 34. Rodilla Este é um pouco mais caro do que os citados acima, mas sai mais em conta que qualquer espelunca americana. Serve sanduíches e saladas e, dependendo da estação, batidos ou chocolate quente. O bom aqui é pedir uma promoção como um refrigerante e seis metades de sanduíches frios (6,60 euros) ou dois sanduíches e um café com leite (2,95) por exempo. Mistura de café com fast-food esta franquia está presente em toda cidade, inclusive na Porta do Sol ou no bairro de Salamanca. Endereços Puerta del Sol, 13, metrô Porta do Sol, L1, L2 e L3. Calle de Serrano, 41, metrô Serrano, L4. Mercado Provenzal Um restaurante simples, com decoração praticamente inexistente e preços muito em conta. Mas não se deixem enganar que as porções são gostosas, mas minúsculas. Sinceramente, acho que vale mais a pena tomar um café com ...

    » Ler mais
  • 10 motivos para visitar Madri

    post em 25/07/2014

    1- Os transportes funcionam Aqui em terras madrilenhas, as paradas de ônibus são numeradas e em cada uma existem mapas indicando por onde o transporte vai passar e as estações de metrô que fazem a conexão com aquela linha. Mas a surpresa suprema foi um painel que informa em quantos minutos o ônibus irá chegar. Além disso, quando o ônibus está no ponto, ele se inclina para estar mais junto ao chão e o passageiro entrar sem dificuldades. Para saber como usar esta maravilha dê uma lida aqui. 2- É possível chegar ao estádio 10 minutos antes da partida começar. Como a mobilidade urbana funciona e qualquer alteração no trânsito é avisada com antecedência, em dia de jogo dos times da cidade, o Real Madrid e o Atlético de Madrid, o cidadão pode buscar formas de evitar circular pelos arredores dos estádios. Isso evita engarrafamentos e multidões. 3- A noitada não tem hora para acabar A noite madrilenha costuma ser dividida em três movimentos: tomar uma cerveja, comer algo e sair para dançar. Dificilmente as pessoas saem para ficar somente num local: o negócio é “ir de bar em bar” e há estabelecimentos que servem exclusivamente bebida alcoólica, por exemplo; outros que só abrem a partir da uma da madrugada. Tem para todos os tipos e gostos. 4- Churros não é coisa de criança. Uma instituição madrilenha no quesito café da manhã ou lanche de final da tarde é o churros. Diferente do Brasil, não é merenda de criança, nem de porta da escola e não é recheado por dentro. Churros aqui é servido em qualquer bar e geralmente com chocolate quente. Existem as casas especializadas na matéria frequentadas por turistas e nativos. 5- A siesta existe, ao menos para o comércio de bairro. Pensei que fosse lenda, mas o cochilo após o almoço existe e ainda é observado pelo comércio de rua. As lojas fecham às 14h ou 14:30 para o almoço e só reabrem às 17h ou 17:30. O movimento nas ruas cai sensivelmente e é uma ótima oportunidade para fazer compras se você não estiver conversando com seu travesseiro... 6- Sempre tem algo acontecendo de graça na cidade. Madri abriga três museus importantíssimos: o Prado, o Reina Sofía e o Thyssen-Bornemisza que formam o triângulo das Artes. A boa notícia é que eles têm horários e dias que abrem de graça, assim como vários museus, centros culturais ou salas de exposição. Sempre tem algo para fazer sem ter que desembolsar muito (ou nada) por isso. 7- Cidade grande com jeito de pequena. Madri tem 3 milhões de habitantes o que faz dela uma grande cidade. Como toda capital que se preze, ela atraiu gente de toda Espanha e de todo mundo. Sendo assim é comum você encontrar restaurantes e centros culturais não só de outros países como também de cada região espanhola. Ainda assim é possível andar na rua tranquilamente, parar para descansar num banco e até tirar um cochilo no gramado de um parque quando é verão. 8- Fazer um picnique no parque é programa para todas as idades. Quem não tem praia tem que ir ao parque para entrar em contato com a natureza. Em meados de maio quando começa o calor, os espaços verdes da cidade são tomados por pessoas que levam o almoço para dividir ...

    » Ler mais
  • Museu do Traje

    post em 28/03/2014

    Depois de tantos posts sobre moda e compras, nada mais justo que mostrar um lugar especial em Madri para quem curte roupas e história. O Museu do Traje (Museo del Traje) reúne uma boa coleção de roupas através do século como os corpetes e espartilhos, passando por trajes regionais espanhóis e peças da alta costura. Tudo isso bem explicado com vídeos, telas interativas e textos para o visitante não se perder. Além disso, o museu expõe complementos e jóias, mostras de tecidos - com destaque para a renda feitas em algumas regiões da Espanha - e sapatos.Desde os chinelos, botas aos sapatos altos. Interessante também são os vídeos mostrando a relação da alta costura e do cinema onde se pode ver as criações de Hubert Givenchy. Claro que os grandes nomes da moda espanhola estão ali como Balenciaga e Manuel Pertegaz (autor do vestido de casamento da princesa Letizia). Localizado na antiga sede do Museu de Arte Contemporânea - que deu origem ao Prado e ao Reina Sofia - só a bela arquitetura do museu típica dos anos 70, no meio de um jardim, valeriam a visita. Para mim, lembra muito o MAM, mas sem a baía de Guanabara. Além disso, é possível completar o passeio andando pelo parque do Oeste, visitando o museu da América ou mesmo a Casa do Brasil que estão ali perto. O Museu do Traje também serve de "vingança" para a mulherada. Afinal, se a sua cara-metade te obrigou a visitar o estádio do Real Madri, nada mais justo que te acompanhe a um museu com temática mais feminina. E com um sorriso nos lábios, óbvio! Quando? Terça a sábado de 09:30 a 19h. Domingos e feriados 10:00 - 15:00 h. Onde? Avenida de Juan de Herrera, 2 Quanto? 3 euros. Gratuito aos sábados a partir das 14:30 e domingos.  ...

    » Ler mais
  • Madri em dois dias: bairro de Salamanca e parque do Retiro

    post em 01/01/2014

    No seu primeiro dia em Madri você já passeou pelo centro e já visitou ou o museu do Prado, ou o Reina Sofia ou o museu Thyssen. Agora, está na hora de começar o seu segundo dia pela capital espanhola. Preparado (a) ? Lembre-se que se você precisar de uma guia de turismo brasileira em Madri pode contar comigo para seu passeio. Depois de um café da manhã reforçado há várias opções. A primeira, se você gosta de futebol, fazer o tour pelo estádio do Real Madri, o Santiago Bernabéu. Vá lá ou então ir ao Vicente Calderón, estádio do Atlético de Madri. Este é mais distante, mas para um torcedor isto é apenas um detalhe. Se você foi ao Real Madri, na volta, pegue o metrô ou o ônibus e vá para o bairro de Salamanca ver as modas. Mesmo que você não tenha bala na agulha para encarar as lojinhas básicas da calle Serrano vale a pena ver a arquitetura do antigos palacetes da virada do século 19 e 20 e passear pelos Jardins do Descobrimento. (foto abaixo) Mas se você tem alergia a futebol e não tem paciência para vitrines, o jeito é entrar em algum museu pequeno, destes que deixam a gente mais inteligente sem fritar o cérebro com tanta informação. Meu preferidos são o museu Sorolla ou o museu Romântico. Outra pedida é seguir caminhando pelo Paseo de Recoletos e aproveitar as opções culturais. A primeira, o museu de Cera onde estão representadas várias personalidades espanholas e os corajosos ainda podem se arriscar no trem do terror. O segundo é a fundação Mapfre onde são exibidas gratuitamente mostras de fotografia, escultura, pintura e moda. Dependendo do artista ou tema há filas; por isso garanta a sua senha na website da Fundação. Para matar o tempo entre na própria loja-livraria "La Central" e resista à tentação de comprar livros de arte, história e objetos super bem transados. Ou melhor: não resista! Igualmente ir ao café El Espejo e tomar um cafezinho. No verão tem música ao vivo na varanda. Ainda tem a Fundação Juan March um centro cultural gratuito que tem sempre exposições bacanas. Ali ainda tem o bonito prédio da Biblioteca Nacional e a boa notícia é que você pode entrar para conhecê-lo através de visita guiada ou ao menos dar uma olhada nas exposições gratuitas. O espaço ainda conta com uma lojinha bem legal. Literalmente do outro lado da rua, na calle Serrano, está o Museu Arqueológico Nacional que guarda tesouros da península Ibérica desde os tempos pré-históricos. Seguindo em frente, quem escolheu ver as modas da Serrano vai chegar logo na Porta de Alcalá. Dali pode entrar direto no parque do Retiro ou então descer rapidinho para a praça Cibeles (foto). Quem optou por ver as esculturas do Paseo de Recoletos encontrará diretamente esta praça. Se por acaso o discreto mosteiro da Imaculada estiver aberto, entre e admire as belas pinturas. Na praça de Cibeles, contemplando a deusa poderosa, ...

    » Ler mais
  • Cibeles

    post em 22/11/2013

    Ela está ali, poderosa e absoluta, sentada em sua carroça puxada por dois leões que não se olham. Cibeles, a deusa Mãe Terra, é um dos símbolos de Madri junto ao Urso e o Madroño. Não por acaso ela foi escolhida para ser a capa da nossa página no Facebook. Aliás, você já curtiu ou deixou seu comentário lá?   A intenção do Rei Carlos III era embelezar a cidade com estátuas e no final do século 18 estavam na moda as figuras mitológicas e, para isso, ele promoveu a confecção de várias delas que podem ser vista em Madri ainda hoje como a estátua de Apolo, no Paseo del Prado e Netuno, em frente ao Museu do Prado. A deusa Cibeles foi construída de 1777 a 1782 por uma equipe: Ventura Rodriguez fez o projeto, o escultor Francisco Gutierrez Arribas esculpiu a deusa e as rodas; e finalmente, Robert Michel, os dois leões. Aliás, os felinos são invejados no verão, pois recebem um refrescante jorro de água nas costas. Já no inverno a coisa muda de figura. Como naquela época não havia água encanada nas casas, Ventura Rodriguez também dotou o conjunto de canos de onde era possível os moradores pegarem água. Claro que este cano saia pela boca de duas figuras de um urso e de um dragão. Estes foram retirados em 1862, mas podem ser vistos no Museu das Origens. A primeira morada da deusa foi no palácio ao lado, o Buenavista, que hoje é o Quartel Geral do Exército. "La Cibeles" como é chamada em Madri é ponto de encontro da torcida madridista para celebrar seus títulos. Já faz parte da tradição que o capitão do time coloque um cachecol ou a bandeira do Real Madri no pescoço da deusa fazendo a alegria dos seus fanáticos seguidores.   ...

    » Ler mais
  • Oficina de Flamenco na Casa Patas

    post em 23/11/2018

    Sempre tive vontade de entender mais sobre o flamenco, porém é uma das coisas que a gente vai adiando e deixando de lado. Entretanto, pude realizar este sonho graças à oficina oferecida dentro das atividades do V Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros realizado em Madrid. O local escolhido foi a Casa Patas, um dos mais tradicionais de Madrid para ver um espetáculo de flamenco e que também funciona como escola de baile e música. Assim aprenderíamos com quem está nos palcos e ensina ao mesmo tempo. Divididos em dois grupos aprenderíamos a dançar e a tocar cajón. Bem, na verdade, foi uma introdução ao princípio dos primeiros passos e às primeiras batidas desse mundo infindável que é o flamenco. Comecei com a aula de baile. “O importante no flamenco é a atitude, declarou” a professora. Peito estufado e postura de estou aqui para ganhar. Depois ela nos mostrou a posição dos braços, mãos e começamos a sapatear. Logo nas três primeiras sapateadas, a minha lombar avisou que ela não aguentaria e se eu quisesse andar pelos próximos dias, que esquecesse o sonho de ser uma Lola Flores brasileira. Tive que me contentar em acompanhar os compassos mentalmente e me limitei a fazer os movimentos com os braços. Não sei se foi o sorriso contagiante, as palavras de incentivo ou a convicção que emanava da bailaora-professora, mas o fato é que ela conseguiu que todo mundo mantivesse o ritmo, acertasse o tempo e até segurasse a cadência. Momento mágico que só a música e arte podem nos proporcionar. Em seguida, subimos para fazer uma, como direi, uma introdução ao começo do princípio do cajón. O professor primeiro nos explicou como o genial Paco de Lucía introduziu o instrumento após uma turnê no Peru. Depois disso, nos fez descobrir os agudos e graves, e nos brindou uma experiência através de três células rítmicas. O mais interessante é que funcionou e o som saiu! Não sei se foi o duende que estava presente ou a pedagogia do professor, mas algo parecido com uma batucada brotou daqueles blogueiros brasileiros que nunca haviam tocado cajón na vida. A festança continuou com uma bela apresentação de flamenco, mas infelizmente eu não pude assistir porque no dia seguinte guiaria vinte blogueiros pelo centro de Madrid. No dia seguinte, soube que tinha perdido um grande show e não me surpreendi nada porque a Casa Patas sempre é garantia de um bom programa! Anote: As oficinas de flamenco podem ser consultados na página da Fundación Conservatório Casa Patas. Casa Patas Endereço: C/ Cañizares, 10 Email: info@casapatas.com Espetáculos de segunda a sábado. Blogs Participantes do V EEBB: viajoteca, viajapedia, anakrueger, londrespravoce, contandodestinos, viagemjovem, 7cantosdomundo, contandodestinos, mochilou, euandopelomundo, holandesando, viagensdemae, passaportecompimenta, ligadoemviagem, viajarpelaeuropa, decafeporbarcelona, destinoprovence, destinomunique, degusteseudestino, oportoencanta, quartodeviagem, estrangeira, vivabarcelona, michelletaodistante, emroma, brunapraviagem, brazuka, thenerdylands, claudias-welt, grazieate, pragaboemia, melissanaholanda, anadeamsterdam, viagem0800, viajecomvivi, bonsventosmelevam, zanzemos, BLPM, ...

    » Ler mais
  • Negra Cruda Desnuda

    post em 16/10/2018

    A poetisa Mel Duarte chega a Madrid, dia 17 de outubro, na Livraria Mujeres y Compañia, às 19:30, para apresentar seu segundo livro “Negra Cruda Desnuda” (Ed. Ambulantes, 2018). A obra aparece num bom momento onde a discussão entre o público e o privado rompeu as barreiras no Brasil. Não muito tempo atrás, vozes como a de Mel Duarte não seriam escutadas por uma audiência ampla, mas ficariam confinadas na periferia ou ao público especializado. Felizmente, as redes sociais e o empreendedorismo desta artista nascida em 1988, em São Paulo, nos aproximam de uma realidade de negações, sonhos irrealizados e preconceito. Mel Duarte, entretanto, como ela mesma afirma, escolheu usar a palavra como arma. Utilizou a poesia, a rima, o rap como seu meio de comunicação, para lembrar às mulheres negras sobre sua ancestralidade, que antes de estarem ali, outras as precederam e a memória tem que ser avivada cada vez que uma injustiça é cometida. Suas palavras soam contundentes como uma arma, mas não perdem a delicadeza. Sabe que deve lutar como uma leoa, mas até as leoas guardam carinho para suas crias e isso a faz tão interessante para nestes tempos de feminismo agressivo que alguns setores sustentam. Mais que um alento, os versos de Mel Duarte são um convite à resistência às injustiças, tenham elas a cor política que tenham. Por isso, em tempos tão perturbadores para o Brasil e para o mundo, só nos restas aproveitar a excelente tradução de Aline Pereira da Encarnação e jamais esquecer que, como as mulheres negras, só agachamos a cabeça quando nos colocarem uma coroa. Paráfrase dos versos do poema Menina Melanina: Negra, negrita, no hagas caso a esas personas, y agacha la cabeza solo cuando vayan a colocarte la corona....

    » Ler mais
  • Hostal Persal

    post em 30/10/2017

    Há muito tempo não dou uma dica de hospedagem em Madrid para meus queridos leitores. Por isso, resolvi corrigir isso dando um super conselho para aqueles que desejam ficar em Madrid num lugar simples, porém confortável. Além disso, é bem localizado, no Bairro das Letras e pertinho da Porta do Sol. E para melhorar está ao lado do mítico Café Central, o templo do jazz madrilenho que realiza shows todos os dias com os melhores músicos do gênero. Pois anotem este nome: Hostal Persal! O estabelecimento está localizado num edifício que data de 1871, daqueles que abundam em Madrid, e são praticamente a marca do centro da cidade. No hall temos uma decoração acolhedora, com poltronas de couro e jornais do dia. Nos corredores vemos objetos que remetem a um passado não muito distante como a máquina de escrever azul que faz sucesso entre os turistas. Os quartos são simples, mas decorados de forma aconchegante. A limpeza é impecável! O hotel também dispõe de livros no refeitório que ficam a disposição dos hóspedes. Com publicações em vários idiomas é tentador ficar ali, tomando um café e mergulhado na leitura de um bom romance. Além disso, o Hostal Persal conta com salões que podem abrigar eventos de toda natureza.   O café da manhã é bem gostoso. Pães variados, muitos brioches e bolinhos (isto é típico de Madrid), yougurte, suco, queijos e embutidos. Não deixe de provar o pão com tomate – leia aqui sobre cafés da manhã típicos da Espanha – para já entrar no clima da viagem. Mas para minha agradável surpresa, o Hostal Persal ainda é ativo nas redes sociais e divulga um sem-fim de atividades culturais de Madrid através de suas contas. Foi assim que os descobri e, claro, adorei a iniciativa! Bairro das Letras Sem dúvida o Bairro das Letras é uma das melhores opções para quem deseja se hospedar em Madrid. O bairro já foi endereço de Cervantes, Lope de Vega, Quevedo e outros medalhões do Século de Ouro espanhol. Sem contar as ruas com bares charmosos, os restaurantes de diversas nacionalidades e teatros como o Español, Calderón, Apolo e o Teatro da Comédia, este último inteiramente dedicado ao repertório clássico. Confira aqui o roteiro para o Bairro das Letras. O bairro tem uma nutrida agenda cultural. Todo primeiro sábado do mês acontece o Mercado de las Ranas (Mercado das Rãs) quando as lojas do bairro colocam seus produtos em plena rua fazendo com que estas fiquem mais coloridas. OS restaurante entram na brincadeira oferecendo menus especais e várias atividades culturais como concertos, teatro e performances vão acontecendo durante o dia. Da mesma forma, em junho, o evento "DecorAcción" já entrou para o calendário de atividades da cidade. Se você precisa de alguma ideia para redecorar sua casa ou comprar peças exclusivas este é o seu lugar! As lojas capricham no desenho das vitrines e montam verdadeiras instalações com móveis e objetos. Fazendo justiça ao nome, o Bairro das Letras tem várias livrarias interessantes. Confira aqui lista de livrarias de Madrid e você vai ver que muitas das minhas preferidas ficam neste bairro. Por que será?...

    » Ler mais
  • Zaragoza

    post em 05/10/2016

    Uma das vantagens de Madri é a sua localização no centro da Espanha o que permite a possibilidade de viajar para várias cidades quase de maneira equidistante. Por isso, um dos destinos escolhidos no inverno de 2014 (!) foi a cidade de Zaragoza. A cidade é super conhecida pela Basílica do Pilar que abriga a imagem da Virgem do mesmo nome. Em 12 de outubro, a Festa do Pilar em honra de Nossa Senhora do Pilar dura uma semana, com direito a oferenda floral, procissão e eventos de natureza, digamos, menos religiosa e que reúne milhares de pessoas. E o que mais tem em Saragoça? Bem, tem arte, muita arte e história! Ora, qualquer cidade europeia tem isto também. Ok,ok. Pense numa cidade em que você pode ir do Império Romano às guerras napoleônicas, passando pela dominação árabe que deixou belos palácios. Sem contar o celebrado escultor Pablo Gallardo que tem um museu ali e o precioso Museu Nacional de Belas-Artes. No entanto, se você não quer entrar em nenhum deles, basta dar uma passeio pelas ruas de Saragoça que você verá uma grande quantidade de obras de arte para ser admirada. Quando ir ? Apesar de ser friorenta, já me defendo no frio. Porém, em Zaragoça, em dezembro acontece o fenômeno meterológico do "cierzo", um vento maldito que não para de soprar um minuto. Esse desgraçado fez a gente mudar de planos mais de uma e não pudemos visitar alguns lugares com medo que o Pimpolho ficasse doente. Em contrapartida, dezembro é um mês ótimo de viajar na Europa porque as cidades se enfeitam para o Natal, há atrações para crianças, feiras e vendedores ambulantes oferecendo comidas gostosas e engordativas. O que ver? Basílica del Pilar - linda e esplendorosa. O grande atrativo da cidade não decepciona os viajantes mais exigentes. Diz a lenda que a própria Virgem Maria, em cima de um pilar, teria aparecido ali ao apóstolo Tiago no século 4. Verdade ou não, o fato é que ali existia uma capela onde se reunia a comunidade cristã no tempo que os árabes dominavam a cidade. Uma vez reconquistada, a igreja só fez aumentar e hoje temos um belo edifício barroco, com quatro torres, cúpulas e no interior, a linda e barroquíssima capela dedicada a patrona. A igreja divide o estatus de catedral com o antigo tempo, La Seo, que está ali do outro lado da praça e merece ser visitada também. Entrada gratuita Museu Pablo Gallardo - a grande surpresa! Não estava ligando o nome a pessoa, mas ao ver uma das cópias da escultura "O Profeta", de 1933, me transportei ao Museu Reina Sofia, que alberga outras peças do mesmo autor. Aliás, tenho uma foto ao lado desta escultura, no tempo que ainda era possível tirar foto nas salas vizinhas à "Guernica", mas hoje nem tente fazer isso ou os seguranças lhe aplicarão uma voadora arrasante. Alojado no lindo Palácio de Argillo, o Museu Pablo Gallardo reúne esculturas e desenhos do artista doadas ao município pela sua filha. Gallardo foi contemporâneo de Picasso, Max Jacob e Juan Gris, mas soube andar tanto pelo estilo clássico e realista do século 19 como acompanhar as correntes artísticas do seu tempo. Também em Barcelona há várias esculturas do autor em Montjuïc.           Onde? Pza. de San Felipe, 3 Quando? Terça a sábado, de 10 a 14 h e de 17 a 21 h. Domingo e feriado, de 10 a 14,30 h. Quanto? 4 euros   Museu de Zaragoza - sabe aquele museu que você entra só porque está perto do hotel? Pois foi um grande achado e onde tive a oportunidade de ver um pouco de todas as culturas e povos que passaram ...

    » Ler mais
  • Roteiro Atocha

    post em 05/09/2016

    Os arredores da Estação de Atocha não são, digamos, a parte mais bonita da cidade e que esteja cheia de atrações turísticas, ou que tenha aqueles monumentos imperdíveis. Afinal, a avenida que rasga o espaço entre o Passeio do Prado e a estação tornaram a caminhada pouco convidativa. Somado a isso, lembrem-se que a própria estação de Atocha é um passeio em si mesmo, com sua bela arquitetura de começo do século 20, esculturas, o monumento pelas vítimas do atentado do 11-M, jardim interno e as tartaruguinhas que fazem a alegria da criançada e dos adultos. No entanto, vamos imaginar que você chegou muito cedo à estação, não quer ir ao Museu Reina Sofia e nem ao Prado e já cansou de ficar vendo as plantas e animais. Ou simplesmente já veio algumas vezes a Madri, mas nem sabe que por ali guardam algumas boas surpresas. Abaixo um pequeno roteiro de atrações que estão ao redor da estação de Atocha e que podem ajudar a passar o tempo: Palácio de Fomento - atual sede do Ministério de Agricultura, Alimentación y Medio Ambiente, o edifício chama a atenção pela sua fachada, com duas escultuas sensacionais que guardam a entrada zelosamente. Do mesmo modo, as três esculturas aladas pousadas no alto do telhado fazem a alegria dos fotógrafos, em especial se o dia estiver claro. Infelizmente, só é possível visitá-lo com visita marcada e no fim de semana.   Museu Nacional de Antropologia - seguindo a mesma calçada do Palácio de Fomento é possível dar um passeio pelos cinco continentes sem sair de Madrid. O acervo é uma coleção de objetos que mostram costumes de vários povos, especialmente daqueles que os espanhóis mativeram contato.       Panteão de los Hombres Ilustres - mais a frente temos o Panteão dos Homens Ilustres onde repousam os restos de alguns espanhóis notáveis. Se você não gosta de cemitério - no fundo, todo panteão é isto - fique tranquilo que não tem ninguém lá. A ideia era fazer um monumento que reunisse grandes personalidades, mas muitas famílias não quiseram separar-se dos restos mortais de seus entes queridos. O que restou foi uma bela coleção de esculturas funerárias do final do século, num edifício de arquitetura neorromânica.         Real Basílica de Nossa Senhora de Atocha - para completar o passeio, dobrando a esquina do Panteão, está a bela basílica de Nossa Senhora de Atocha, de 1951, guardiã da imagem da santa de mesmo nome. Admire os vitrais com cenas bíblicas desse pequeno templo que está ligado a história de Madrid e da família real que conservam a tradição de apresentar seus filhos neste templo. Horário: 07:30h a 13:00h e 17:30h a 21:00h.   Depois deste pequeno recorrido, siga em frente, margeando os edifícios administrativos da Renfe (a companhia ferroviária espanhola) e você já vai ver a estação de Atocha.      ...

    » Ler mais

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers