Resultado da sua Busca

  • Semana Santa em Madri

    post em 28/03/2015

    A Semana Santa de Madri, assim como no resto da Espanha, é bastante movimentada. Aqui não tem Coelhinho da Páscoa, mal se encontra um ovo de chocolate e o doce tradicional é a rabanada. Por causa dessas diferenças culturais, a Páscoa torna-se um atrativo mais para quem está na capital espanhola no feriado. O melhor de tudo é que vários eventos são no centro da cidade e gratuitos. Comidas típicas Bacalhau No quesito alimentação, a Páscoa na Espanha é parecida ao Brasil. Come-se bacalhau na Sexta-feira Santa, mas cordeiro no domingo. Aliás, carne desse bicho pode ser encontrada em qualquer mercado e é uma delícia. Nem preciso dizer que o preço do peixe está nas alturas nesta época e os vendedores capricham para atrair a clientela. Rabanada Isto mesmo! As rabanadas, em espanhol "torrijas", tradicional doce que é servido no Natal no Brasil, se come (e muito) na Páscoa. Não há café que não o ofereça desde a receita mais tradicional até as inovações de recheá-las com creme de limão, chocolate e não sei mais o quê. É uma delícia, mas quem fazia rabanada boa era a minha avó. Claro. Procissões Mesmo que você não seja religioso vale a pena acompanhar as procissões pela curiosidade antropológica e cultural. Aqui as procissões são organizadas por Irmandades e Confrarias, com os participantes vestidos com túnicas e chapéus cônicos que tapam o rosto, banda e belas imagens que retratam uma cena da Paixão ou a Virgem Maria.   A programação inclui concertos sacros em diversas igrejas. No Domingo de Ramos, organizada pela Confraria dos Estudantes, saindo da bela basílica de São Miguel, se iniciam as procissões que se estendem durante a semana em vários pontos da cidade. Os enfeites, as flores, as velas e todo o ritual em torno do Cristo agonizante ou de Nossa Senhora das Dores é impressionante. Quinta-Feira Santa, no bairro de Salamanca, tem a procissão do Divino Cautivo. A imagem foi esculpida em uma só peça, em 1944, por Mariano Benlliure. É uma obra impressionante porque a cabeça está bem erguida e parece que olha diretamente para nós, sem medo, sem maiores pretensões, talvez exatamente na mesma postura que Jesus fez quando foi interrogado por Pilatos. A foto que abre o post é desta procissão. Na Sexta-Feira Santa, sai uma procissão da igreja do Sacramento ou a Igreja-Catedral das Forças Armadas Sede da Confraria do Cristo da Fé, Cristo dos Alabarderos e Maria Imaculada Santíssima Rainha dos Anjos é uma das devoção que remonta ao século 16/17.     No Domingo da Ressurreição, às 12h em ponto, na Plaza Mayor, acontece a "tamborrada". Milhares de pessoas tocando tambores para anunciar a Ressurreição de Cristo fazendo um barulho ensurdecedor. Na verdade, o costume vem de Zaragoza, onde se anuncia a Ressurreição de Cristo com muito batuque. Imagina juntar gente de todas as idades tocando ardorosamente tambor e bumbos de forma ritmada em plena Plaza Mayor ? Pois isto é uma tamborrada, espetáculo oferecido pela Confraria do Descimento da Cruz e Lágrimas de Nossa Senhora de Zaragoza junto a Real e Ilustre Congreção de Nossa Senhora da Solidão e Desamparo. Para quem vem de um país onde a percussão está associada ao candomblé e ao samba, chega a se estranhar como a percussão tambor poderia estar ligado a um ritual cristão. Mas não é que combina ? Confiram o vídeo! No mais, feliz Páscoa!   A programação, em espanhol, completa está no site: http://www.semanasantamadrid.es/...

    » Ler mais
  • Auditório Nacional de Música

    post em 22/03/2015

    Em Madri existem várias salas de concertos com uma atividade musical intensa. Além do histórico Teatro Real onde são encenadas óperas e balés, há o Auditório Nacional de Música dedicado às orquestras e concertos em geral. Quando fui à primeira vez ao Auditório, o fiz em grande estilo, pois assisti ao concerto do mezzo-soprano italiano Cecilia Bartoli. Na segunda, me deliciei com as canções de Kurt Weil interpretadas pela alemã Ute Lemper e, finalmente, assisti a Ashot Tigranyan & Classical Concert Chamber Orchestra, dos EUA, com participação do soprano espanhol Ana Mª Sánchez. Como se vê, a programação é bastante eclética e agrada a todos os gostos. O Auditório foi inaugurado em 1988 e é sede também da Orquestra e Coro Nacional da Espanha, da Jovem Orquestra Nacional da Espanha e do Centro Nacional de Difusión Musical. São duas salas: a Sinfônica, para grandes orquestras, com capacidade para 2.324 e a de Câmera, onde cabem 692. Nas duas salas há órgãos o que propicia uma experiência interessante para apresentações deste instrumento. Localizado ao lado do parque de Berlim, desde a estação do metrô você já entra no clima. Nas plataformas já há cartazes de grupos musicais e as paredes estão cobertas das publicidades dos concertos do AUM. Para culminar, uma escultura lembrando um pentagrama.   O Auditório Nacional de Música foi planejado pelo arquiteto José Mª García de Paredes e inaugurado 21 de outubre de 1988. Em nada lembram os pomposos teatros do século 19. De linhas simples, piso de mármore e decorado com pinturas de artistas espanhóis, o teatro é uma casa de espetáculo e também um ponto de encontro para os que ficam no corredor entre um intervalo e a função.   Lebrando que é possível comprar o ingresso pela Internet e por isso, vale a pena conferir se o seu artista preferido vai se aprensetar na cidade nos dias da sua estada em Madri. Portanto, passe lá no site do Auditório: http://www.auditorionacional.mcu.es/programacion/portada...

    » Ler mais
  • Hábitos de Leitura

    post em 28/02/2015

    Um belo costume que nos chama atenção é que na Espanha se lê muito. No metrô, a quantidade de gente lendo um livro é impressionante. Seja em formato eletrônico ou no designer inventado por Guttemberg, o fato é que os espanhóis leem bastante. O preço dos livros, porém, é alto como no Brasil. A única vantagem é que o lançamento de hoje será editado dois anos mais tarde em edição popular com um preço idem. Mesmo assim, vale a pena visitar as maravilhosas livrarias de Madri e descobrir seus títulos. A boa notícia é que existem maneiras de economizar e mergulhar de cabeça em uma boa história, como as bibliotecas públicas, as do metrô e o troca-troca de livros. Bibliotecas públicas Na Comunidade de Madrid existem cerca de 210 bibliotecas públicas que dispõe de empréstimo de livros, jornais, revistas e filmes, e acesso à Internet gratuito. Além disso, várias oficinas de idiomas, música ou artes são oferecidas para adultos e crianças. Para se inscrever, basta apresentar um documento de identidade e as portas da felicidade se abrirão para você. Bibliometro Bibliometro é o sistema gratuito de empréstimos do metrô de Madri, presente em 12 estações. Basta apresentar um documento de identidade e você tem acesso a um acervo de livros atualizados, clássicos da literatura, biografias, ficção científica, etc. Quem já é sócio de alguma biblioteca pública ganha o mesmo número que será válido para ambas. O leitor pode ficar quinze dias com o livro e se quiser, renová-lo por mais 15 por telefone ou Internet. Para quem passa muito tempo viajando pela cidade é uma benção! O único problema é o horário: de 13:30h às 20:30. Libros Libres Outra iniciativa interessante é a Libros Libres. Pessoas de bom coração resolveram criar uma livraria onde é possível pegar livros gratuitamente ou por qualquer aportação voluntária! E não são os típicos livros velhos, amarelos e poeirentos que ninguém mais quer. São livros bons, interessantes e atuais. A livraria abriu em setembro de 2013 e pretendia ficar um ano aberta, mas a ideia deu tão certo que agora eles se transformaram na Tuuu Librería. Para isso, conta com a ajuda de editoras, dos assinantes (12 euros por ano) e da população em geral. O povo pode doar livros (óbvio), mas também chá, café, talentos ou trabalho voluntário. Além disso, ainda conta com um acervo de DVDs em que você pode alugar ou comprar. Endereço: Calle Covarrubias, 38, 28010 Madrid Telefone:912 82 10 01 Troca-troca de livros em cafés Não sei se é a falta de espaços em apartamentos cada vez menores ou se é a consciência ecológica, mas se observa cada vez mais a cultura de troca de livros. Em Madri, descobri três cafés que realizam a atividade do tipo "pegue um e deixe outro". Compartilho com vocês os endereços que averiguei in loco. O primeiro é no bairro das Letras (lugar apropriado) no café Matilda; mais a frente, no café El Azul, a mesma proposta. Em Lavapiés, o café La Infinito é misto de restaurante-teatro-e-editora e reserva uma estante para a troca de livros. Café Matilda Endereço: Calle Almaden 15 - Telefone: 914 29 80 29 Café El Azul Endereço: Calle Fúcar, 1 - Telefone:914 29 07 73 Café La Infinito Endereço: Calle Tres Peces, 22 - Telefone:650 40 45 98 Na rua No bairro de Tribunal, na calle de San Andres, há um lugar que ...

    » Ler mais
  • Museu da História de Madri

    post em 04/02/2015

    Depois de mais de uma década de reformas foi reaberto o Museu da História de Madri. Instalado no antigo edifício do Real Hospício de São Fernando, do século 18, a reabilitação modernizou o interior e conservou a bela fachada barroca. Para salvar o prédio da demolição, a prefeitura o comprou em 1920 e anos depois transformou-o no Museu Municipal, que agora foi repaginado em Museu de História. Através de quadros, gravuras, objetos e maquetes, podemos ver a evolução urbana de Madri desde que foi escolhida para ser capital da Espanha por Felipe II, em 1561. Quem deseja conhecer a história da cidade antes deste período deve se dirigir ao maravilhoso Museu das Origens. A eleição de Madri como capital da Espanha se deveu a vários motivos: a cidade tinha águas subterrâneas em abundância, ficava no centro da Península e já era tempo da corte se fixar em só lugar e terminar com sua intinerância. Assim, a antiga Mayrit - tal como o Rio de Janeiro em 1808 - se viu invadida por nobres, clérigos, diplomatas e gente de todo o tipo que desejava estar perto do Rei e da Corte para conseguir seus favores. Desta maneira, vemos como a Villa vai se embelezando com a construção do Parque do Retiro, onde o Rei e os nobres passavam seus momentos de lazer. Outra diversão da época era ir às touradas e há uma bela maquete mostrando que o evento já estavam bem organizado (foto acima). Também é uma oportunidade para conhecer antigos conventos e capelas que já formaram parte da cidade como o de São Felipe, o Real (foto abaixo) chamado de "Mentidero de la Villa" porque sempre havia gente ali para comentar sobre a vida alheia, saber as últimas notícias e também espalhá-las... Porém nem tudo eram futilidades. Para modernizar a cidade e dotá-la de atividade econômica própria, várias fábricas foram abertas como a Real Fábrica de Tapetes (que existe até hoje), a Real Fábrica de Porcelana do Bom Retiro e a de Prataria. Infelizmente, como estavam orientadas para o segmento de luxo, todas essas iniciativas sempre enfrentaram muitas dificuldades para sobreviverem. No subsolo, duas maquetes enormes nos mostram como era Madri no século17 e 18. Para minha felicidade fizeram um vídeo que mostra a cidade rua por rua destacando vários prédios que ainda existem atualmente e os que já foram demolidos. Um belo passeio na história de Madri em um só lugar. Onde? Calle Fuencarral, 78. Metrô Tribunal, L1 e 10. Quanto? Gratuito Quando? De terça a domingo de 9:30 a 20 horas....

    » Ler mais
  • Dicas para o inverno madrilenho

    post em 09/01/2015

    Quem viaja durante o inverno em Madri pode ficar tranquilo. Sei que para quem vem dos trópicos, acostumados a um inverno de 20 graus vai parecer frio de todas as maneiras, mas aqui as temperaturas raramente caem abaixo de zero e a neve é apenas uma lembrança na memória da cidade. Além disso, não deixa de ser uma atração turística se vestir com casacos, cachecóis e luvas. Tem mais dicas de como se vestir nesta época neste post.   Assim, venha sem medo e aproveite as temperaturas baixas. Ao contrário dos países do norte europeu, temos luz de 8:00 às 17:30 (depende do mês, claro) e dias ensolarados. Aproveite para comer a especialidade da cidade: o cocido madrileño. esta maravilha calórica é um prato feito basicamente por grão de bico, morcilha, toucinho, repolho e cenoura. Há muita oferta deste quitute nos restaurantes da cidade e os mais badalados são "La Bola" (http://www.labola.es/) e a "La Taberna de Daniela" (http://www.tabernadeladaniela.com/nuestras-danielas/la-daniela-cuchilleros/). este último tem vários estabelecimentos na cidade - inclusive no meu bairro - mas indico o endereço mais central. Em ambos se come muito bem e depois de provar o cozido você terá contato com outro costume espanhol: a siesta. Mas para quem realmente deseja ver neve ou até mesmo esquiar pertinho de Madri há estações de esqui para você matar sua vontade. Há duas estações badaladas: Puerto de Navacerrada (http://www.puertonavacerrada.com/ ) que está há uma hora de Madri e Valdesquí (http://www.valdesqui.es/).. Como nunca estive em nenhuma delas deixo para vocês a informação em espanhol. No mais, se estiver ventando, entre em um dos milhares de museus da cidade e curta um dos melhores acervos em arte pictórica. Ou então vá numa chocolateria e deguste de churros com chocolates. Só não vale ficar no hotel pensando no verão perdido.  ...

    » Ler mais
  • A su imagen – arte, cultura y religión. A sua imagem – arte, cultura e religião

    post em 23/11/2014

    No Centro Cultural de la Villa está em cartaz uma fabulosa mostra de arte religiosa espanhola que vai do século 10 ao século 20, procedente de coleções particulares, diocesis e diversos museus. A exposição busca retratar como os artistas de épocas distintas entenderam os episódio bíblicos do Antigo Testamento como a Criação, os Profetas, o tempo dos Juízes, as heroínas bíblicas até o Novo Testamento com passagens como o Natal, milagres, o Calvário (a sala mais espetacular), a Ressurreição e o cristianismo no mundo. Cada época vai acompanhada com uma cor. Assim, começamos com uma sala azul do Gênesis, passamos pelo negro e terminamos com os padres de Igreja e dos santos em vermelho. Além disso, as obras mais detalhistas como relicários trabalhados, foram cuidadosamente fotografadas, ampliadas e colocadas em monitores onde o visitante pode ver cada minúcia. A exposição traz ainda fragmentos do Pentateuco e dos Evangelhos que foram conservados ao longo dos noas. Estão ali os pesos pesados da Espanha como El Greco, Zurbarán, Goya, Murillo e Alonso Cano. Destaque para as esculturas barrocas que sempre nos perturbam pelo seu realismo extremo. Fiquei contemplando um Menino Jesus durante um tempo e se ficasse mais cinco segundos juraria que ele tinha piscado pra mim! Onde ? Fernán Gomez - Centro Cultural de la Villa - Plaza de Colón 4 - Metrô Colón, L4 Quando? De segunda a quinta de 10h às 20h. Sexta, fins de semana e feriados, 10h às 21h. Quanto? 7 euros...

    » Ler mais
  • Salamanca

    post em 23/09/2014

    A cidade de Salamanca está situada a 213 quilômetros de Madri. Com disposição, dá pra fazer um bate e volta, retornar a Madri ou seguir para Lisboa. Fui duas vezes: uma para apresentar um trabalho em um congresso que se realizava na Universidade e a segunda, com amigos. Da primeira vez só tive tempo de ir à catedral e à plaza Mayor. Na segunda, percorri em um dia inteiro, visitei os quatro lugares citados abaixo, além de andar com tranquilidade pelas suas ruas charmosas. Claro que sempre fica faltando alguma coisa! Salamanca até hoje atrai jovens do mundo todo por conta da sua universidade. Longe de ser um lugar parado no tempo é uma cidade vibrante, cheia de atrações culturais com festivais e mostras de cinema. Por isso, sse você tem oportunidade, não deixe de passear pelas ruas onde desta pequena joia histórica. Como chegar ? De carro, trem ou ônibus. Trem: os preços variam de 18,90 a 23,65 euros. A viagem dura 2 horas e quarenta minutos. Agora, também existe o AVE, o trem de alta velocidade, que faz o trajeto em 1h e 33min. Até 7 de janeiro a passagem terá um preço promocional de 20 euros. Ônibus: a companhia Avanza cobre o trajeto. O ônibus sai do aeroporto ou da estação de Príncipe Pio. Os preços oscilam entre 13, 50 a 24 euros e são três horas de viagem. Universidade de Salamanca - Salamanca tem a universidade mais antiga da Espanha e a quarta da Europa. Fundada no século 13, foi a primeira a ganhar o título de Universidade em 1255 pelo papa Alexandre IV. Aliás, a universidade de Alcalá de Henares foi fundada para rivalizar com esta instituição. De caráter jurídico, a universidade debateu as ideias mais inovadoras do século 15 como as teses de Colombo ou o direito dos povos indígenas recém-conquistados na América. Ali estudou a primeira mulher em uma universidade, Beatriz Galindo, a Latina; e, Lucía de Mendrano foi, provavelmente, primeira mulher no mundo a dar aula aos marmanjos. Não se admire se você encontrar o Centro de Estudios Brasileños-Fundación Cultural Hispano-Brasileña, pois ali há um curso de pós-graduação dedicado ao Brasil, além de um importante centro cultural que fomenta a cultura brasileira na Espanha. Em uma das pardes também se vê que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso esteve por ali em maio de 2002. A fachada da universidade de Salamanca é uma loucura: milhares e milhares de figuras esculpidas em três níveis. No centro, as efíges dos reis Isabel e Fernando escritas em grego, para mostrar que a monarquia apoiava as ciências e os estudos. Entretanto, a grande atração é encontrar a rã que está em algum ponto daquele emaranhado de símbolos. Diz a lenda que o aluno que a descubrisse teria sorte durante todo o ano letivo. Ainda bem que já terminei meus estudos porque só com a ajuda do guia achei a bem-dita! Alguém se atreve? Plaza Mayor - Esta tinha a função de ser o coração da cidade e foi este modelo que os castelhanos exportaram à América. A praça foi construída no séc. 18 e é rodeada por um belo edifício; sobre os arcos estão homenageadas em medalhões, as figuras principais da Espanha como Santa Teresa, Cervantes e vários reis. A praça tem muitos restaurantes e ...

    » Ler mais
  • Quanto vou gastar em Madri?

    post em 31/08/2014

    Madri é uma cidade cara? Quanto vou gastar na minha viagem? Quanto custa em média um almoço ? E os museus? Tento responder a essas perguntas neste post. Algumas são fáceis, pois a passagem de metrô ou ônibus varia pouco. Mas e quanto ao cafezinho ? E o almoço que pode custar tanto 40 euros em um restaurante badalado como 12 euros na outra esquina? Neste caso, indico as variações encontradas. Com um pouco de planejamento dá para fazer muita coisa em Madri sem ter que deixar um rim ou lavar a louça. Transporte - expliquei detalhadamente o custo de se andar de metrô ou ônibus neste post. Em Madri, é possível fazer quase tudo a pé; mas é sempre bom saber que existem outras possibilidades, especialmente no verão ou no inverno. Ônibus turístico - esses ônibus podem ser uma solução para quem vai ficar pouco tempo na cidade, tem problemas de mobilidade ou está tão cansado que não aguenta mais dar nenhum passo! Há dois serviços na cidade. O Madrid City Tour (vermelho) que tem um recorrido maior e, portanto, mais caro. A passagem para um adulto, durante um dia, custa 21 euros e dois dias, 25. Tem audio guia em português e você pode descer e subir do ônibus quantas vezes quiser. Saída do museu do Prado ou da praça Colón. O Madrid Bus Vision (amarelo) tem um recorrido um pouco menor e o guia vai com você. É bem mais barato, porém eles não têm passe para dois dias. O tíquete para um adulto sai a 15,90 euros. Saída da praça de Netuno. Museus - os museus que conformam o Triângulo das Artes (Prado, Reina Sofia e o Thyssen-Bornemisza) são os mais caros. Em contrapartida têm horários gratuitos bastante generosos. Os outros museus que dependem do Estado custam em média 3 euros. Os edifícios que compõe o chamado "Patrimônio Nacional" (Palácio Real, Mosteiro das Descalças Reais e Mosteiro da Encarnação) saem por 6 a 7 euros também e às quartas-feiras à tarde tem entrada gratuita, mas uma fila imensa. Teatro e cinema - escrevi um post comentando sobre os preços de peças, concertos e óperas. Não esqueça que hoje tudo se compra pela Internet e é possível garantir seu lugar antes de embarcar. Parques - todos os parques municipais tem entrada gratuita. Alimentação - um menu sai de 12 a 15 euros. Lembre-se que aqui se servem dois pratos, bebida, pão, café ou sobremesa. Para saber mais informações sobre os restaurantes na Espanha consulte este post aqui. Fiz dois posts mais detalhados onde você pode comer barato e também descrevo opções mais sofisticadas. Café - parada obrigatório entre um museu e outro ou depois de muito caminhar. Cafés bonitos, charmosos, históricos ou moderninhos: tem para todos os gostos em Madri. No ultra turístico Parque do Retiro um cafezinho pode custar três euros. A média, no entanto, fica entre 1.40 euros a 2,20 euros. Boate - a maioria das boates do centro não cobra entrada ou somente cobra dos homens. Outros ...

    » Ler mais
  • Mosteiro da Encarnação – Monasterio de la Encarnación

    post em 30/08/2014

    Para os que apreciam arte e história convém visitar o Real Mosteiro da Encarnação que fica perto do Mosteiro das Descalças Reais e do Palácio Real. Ainda hoje há religiosas que fazem dele sua casa e por esta razão só é possível visitá-los com guias que falam apenas espanhol. Construído entre 1611-1616, o mosteiro foi protegido pela rainha Margarida de Aústria, esposa de Felipe III, para comemorar a expulsão dos útimos mouros da Espanha. Hoje ninguém mais celebraria tal fato, mas na época, até mosteiros eram fundados. A fachada guarda um estilo sóbrio que fez escola por toda Espanha como podemos notar ao viajar pelo país. A visita começa em salas especiamente criadas para os turistas com a apresentação dos personagens da época. Muitos autores não estão identificados, mas assim mesmo, contemplamos os Habsburgos de distintas gerações. A sala seguinte reúne pinturas, mas também esculturas como o belíssimo e dramático Cristo jacente, de Gregorio Hernández. Entramos na parte externa do mosteiro, onde fica o jardim, e nos deparamos com enormes pinturas que contam a história da Virgem e da infância de Jesus. Estas não foram feitas por grandes mestres e isso é notável na qualidade; mas até isso tem explicação. Como as monjas precisavam de imagens para enriquecer o mosteiro (lembrem que muitas que ingressavam eram nobres), mas a verba era limitada, resolveram encomendá-las a pintores da, digamos, segunda divisão artística. Não se tem certeza de quem pintou os quadros, mas o conjunto impressiona. Em seguida, visitamos o coro que é usado diariamente pelas religiosas tanto para a missa quanto para suas orações. O coro está no mesmo nível que a igreja e assim elas podem assistir às celebrações através da grade sem serem vistas.Como é tradição, em um nicho, está o túmulo de Mariana de San José (1558-1638), primeira priora deste mosteiro. O ponto alto deste recorrido, antes de entrarmos na igreja, é à sala de relíquias. Milhares de pedaços de ossos, dedos, tecidos e outros objetos tétricos estão cuidadosamente guardados para veneração. O mais popular são os relicários que contém o sangue de são Panteleão que se coagularia todo dia 27 de julho. A maioria não está reconhecida pelo Vaticano, mas é interessante percorrer esta forma de devoção que até hoje sobrevive. Se não há missa passamos à igreja. Construída em estilo neoclássico, o altar é presidido por um belo quadro da Anunciação; e fato raro se tratando da Espanha, ladeado de colunas de mármore. Mas o que mais gostei foi a cúpula inteiramente pintada sobre o triunfo da Virgem no céu. Onde ? Plaza de la Encarnación, 1. Metrô Opera L2 e L5. Quando ? Como se trata de uma casa religiosa é bom confirmar antes. Terça - sábado 10:00 - 14:00 e 16:00 - 18:30 Domingos e feriados 10:00 - 15:00 Quanto ? 6 euros Fotos: é proibido tirar fotos do interior do mosteiro e da igreja. As duas primeiras estão em: http://manuelblasdos.blogspot.com.es/2010/09/real-monasterio-de-la-encarnacion.html...

    » Ler mais
  • Aranjuez

    post em 25/08/2014

    Para aqueles que, sabiamente, escolheram passar muito tempo em Madri sugiro outro passeio bate e volta. Já falei sobre Toledo, Alcalá de Henares e Segóvia, agora conto a vocês a respeito da cidade de veraneio da família real espanhola, a Petrópolis madrilenha: Aranjuez. A cidade ficou conhecida também pelo concerto de Joaquin Rodriguez intepretado por todo violonista que se preze. Para quem não está ligando o nome à música deixo aqui a intepretação do segundo movimento com o incrível Paco de Lucia. Não faltam atrações nesta pequena cidade como o palácio Real, a Casa del Labrador e o Museu das Falúas Reales; e os lindos jardins decorados com fontes e estátuas. Declarada "Paisagem Cutural d Humanidade" em 2001 pela Unesco, Aranjuez está há quarenta minutos de trem de Madri e pode ser visitada em um dia. Ao sair da estação de trem já se vê uma placa indicando o Palácio Real e a caminhada até o local dura uns 10 minutos. Atenção para quem quiser conhecer as outras atrações de Aranjuez porque os ingressos devem ser adquiridos ali. A melhor forma de se deslocar é utilizando o "trenzinho" que sai em frente ao palácio real. Ele passa por todas as atrações turísticas e você pode descer e subir de volta. Desta maneira você economiza energia para passear pelos jardins e também pelos museus. Fui em um dia lindo de primavera e os jardins estavam floridos. Quem vai na primeira semana de setembro, porém, pode assistir a representação do Motín de Aranjuez, que revive a revolta dos habitantes da cidade contra o ministro do rei Carlos IV, Manuel Godoy. A peça é baseada no livro do escritor Benito Perez Galdós e são os próprios habitantes de Aranjuez que se vestem com traje de época para reviver este episódio histórico. Mas, afinal, o que tem Aranjuez? Seguem abaixo as principais atrações da cidade: Palácio Real - A construção foi iniciada por Felipe II com o mesmo arquiteto que edificou o El Escorial, Juan Batista de Toledo, no século 16. Porém, foi virtualmente abandonado até o século XVIII quando o rei Fernando VI deu novo impulso à obra. Entretanto foram os reis Carlos III e mais tarde, Isabel II, que consolidaram o palácio tal como se conhece hoje. Para quem visitou o Palácio Real de Madri tem a imprensão que o de Aranjuez é uma miniatura ou exatamente uma casa de veraneio, pois tem todo o conforto (e pompa) de uma casa real, mas em dimensões reduzidas. Ambos tem a mesma fachada e decoração neoclássica, e agumas salas parecidas, como a chinesa, a mudéjar e a de música. Também estão ali o museu da "Vida do Palácio" onde estão os brinquedos dos príncipes, as roupas das rainhas e princesas, uniformes e espadas dos reis, além de quadros e outros objetos. Mas a maior emoção para mim foi ver os vestidos de noiva da rainha Sofia, das infantas Elena e Cristina e da agora rainha Letizia. Jardim da Ilha (foto acima) - este jardim se encontra na ilha atrás ao palácio, e ainda conta com uma espécie de represa para os patos se refrescarem. O estilo do jardim é francês e quem vai na primavera ganha direito de vê-lo florido. Jardim do Príncipe - este jardim tem 3 quilômetros de ...

    » Ler mais

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers