Paz Errázuriz – fotografia

(post em 18/01/2016)


A Fundação Mapfre traz as fotografias da artista chilena Paz Errázuriz até o dia 18 de fevereiro, na Sala Bárbara de Braganza. Auto-didata, a fotógrafa se especializou em retratar a população marginalizada do seu país, inclusive durante a ditadura, como travestis, prostituras, idosos em um asilo, artistas de circo, desocupados e índios.

Não é, deste modo, uma exposição simples, onde vamos para passar o tempo ou espairecer dos problemas da vida. Apesar de clicar pessoas que não se encaixam no padrão de beleza vigente, Paz Errázuriz os mostra com a dignidade que todo ser vivente merece e jamais em situações constrangedoras e nisso está a beleza de suas fotografias.

PE30x40GB32

 

Nota-se que ela conseguiu conquistar seus modelos e deixá-los à vontade diante da câmara a ponto de desnudarem o corpo e a alma, como a sequência feita com moradores de um asilo. A princípio ficamos surpresos em ver o corpo envelhecido e enrugado exposto daquele modo, acostumados que estamos em ver somente corpos “perfeitos” na publicidade. Mas ao contemplar o conjunto, cria-se a empatia e o orgulho de saber que há pessoas com suficiente coragem para lembrar-nos que todos somo bonitos de uma forma ou de outra.

Interessante também é a série que ela faz com o filho fotografando-o todos os meses durante quatro anos. Percebe-se a mutação de um adolescente em homem somente pelo olhar às vezes entediado, às vezes orgulhoso de saber-se fotografado pela mamãe.


Paz Errázuriz

Onde? Sala Bárbara de Braganza. Calle Barbara de Braganza, 13. Metrô Colón, L4.

Quando? Segunda de 14:00 a 20:00 h. Terça a sábado de 10:00 a 20:00 h. Domingos e feriados festivos de 11:00 a 19:00 h.

Gratuito

 


 

O Rumo a Madrid agora está no Instagram com o nome de @rumoamadrid. Siga a gente por lá!


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers