PhotoEspaña: eu fui

(post em 17/06/2015)


Mês de junho é o mês da volta ao calor e isso quer dizer limpar armários, desenterrar a roupa de verão e guardar a de inverno. Mas também significa que mais uma vez Madri se torna a capital espanhola da fotografia e abriga milhares de exposições, palestras, workshops, etc.

Este ano, o tema é América Latina e os brazucas estão por aqui. Gente que já partiu como Mario Cravo Neto e gente nova como Ding Musa e Márcio Vilela. Sem falar dos velhos conhecidos do grande público como o cubano Albert Korda (aquele da foto do Che) e o americano Paul Strand e outros a descobrir como a ítalo-mexicana Tina Modotti. Seguem abaixo as exposições que fui e recomendo:

Mario Cravo Neto – tive que começar pelo compatriota, né? Por obrigação profissional entrevistei a curadora e (re)descobri as belas fotos em preto e branco que o baiano fez com vários símbolos do candomblé. Há também três vídeos dos anos 70 e consegui assistir um sobre capoeira filmado em Salvador muito legal. A foto abaixo chama-se Luciana:

luciana

Júlio Zadik – ao lado está a exposição do guatemalteco Júlio Zadik. Bem de vida, o rapaz rodou o mundo e deixou belas imagens do Japão, França e também do interior do seu país. O interessante é que ele praticamente não expôs em vida e só agora sua obra começa a ser descoberta. Da mesma forma, ele sabia explorar ângulos inusitados como as sombras das cadeiras. Fez um belo par com Cravo Neto!

julio zadik

 

Márcio Vilela – outro brasileiro que participa do Off-PhotoEspaña. Na galeria Slowtrack, Vilela nos mostra sua aventura – literalmente – em fotografar o espaço e descobrir que o céu não é azul e sim, preto.

Latin Fire. Fotografias da Coleção Anna Gamazo de AbellóPalácio Cibeles (CentroCentro) – desta exposição participam cerca de cinquenta fotógrafos latino-americanos. Estão lá o fotojornalismo retratando os protestos na rua durante o começo das ditaduras militas de Chile e Argentina, a solidão das mulheres mexicanas, o exagero da moda juvenil em uma casa de classe média peruana nos anos 80. O brasileiro Alair Gomes está presente com suas famosas sequências dos rapazes malhando na praia de Ipanema.

LatinFire450

Tina Modotti – Loja Lowe, Calle Serrano, 26 – a italiana que se mudou para o México e lá fez toda sua carreira no período entre guerras. Retratou detalhes como as mãos dos trabalhadores, flores, mulheres do povo, e igualmente os figurões da época como o onipresente Diego de Rivera. É a primeira exposição individual da artista na Espanha e fiquei encantada de poder prestigiá-la.

modottimanos

Casa de América – brasileiros como Gustavo Lacerda, Gilvan Barreto e Tatewaki Nio (um japonês que mora em São Paulo), participam de uma coletiva com vários colegas latino-americanos. Bela oportunidade de ver que somos mais semelhantes do que supõe nossa vã filosofia.


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers