Salamanca

(post em 23/09/2014)


A cidade de Salamanca está situada a 213 quilômetros de Madri. Com disposição, dá pra fazer um bate e volta, retornar a Madri ou seguir para Lisboa. Fui duas vezes: uma para apresentar um trabalho em um congresso que se realizava na Universidade e a segunda, com amigos. Da primeira vez só tive tempo de ir à catedral e à plaza Mayor. Na segunda, percorri em um dia inteiro, visitei os quatro lugares citados abaixo, além de andar com tranquilidade pelas suas ruas charmosas. Claro que sempre fica faltando alguma coisa!

Salamanca até hoje atrai jovens do mundo todo por conta da sua universidade. Longe de ser um lugar parado no tempo é uma cidade vibrante, cheia de atrações culturais com festivais e mostras de cinema. Por isso, sse você tem oportunidade, não deixe de passear pelas ruas onde desta pequena joia histórica.

Como chegar ? De carro, trem ou ônibus.

Trem: os preços variam de 18,90 a 23,65 euros. A viagem dura 2 horas e quarenta minutos. Agora, também existe o AVE, o trem de alta velocidade, que faz o trajeto em 1h e 33min. Até 7 de janeiro a passagem terá um preço promocional de 20 euros.

Ônibus: a companhia Avanza cobre o trajeto. O ônibus sai do aeroporto ou da estação de Príncipe Pio. Os preços oscilam entre 13, 50 a 24 euros e são três horas de viagem.

Universidade de Salamanca – Salamanca tem a universidade mais antiga da Espanha e a quarta da Europa. Fundada no século 13, foi a primeira a ganhar o título de Universidade em 1255 pelo papa Alexandre IV. Aliás, a universidade de Alcalá de Henares foi fundada para rivalizar com esta instituição.

De caráter jurídico, a universidade debateu as ideias mais inovadoras do século 15 como as teses de Colombo ou o direito dos povos indígenas recém-conquistados na América. Ali estudou a primeira mulher em uma universidade, Beatriz Galindo, a Latina; e, Lucía de Mendrano foi, provavelmente, primeira mulher no mundo a dar aula aos marmanjos.

Não se admire se você encontrar o Centro de Estudios Brasileños-Fundación Cultural Hispano-Brasileña, pois ali há um curso de pós-graduação dedicado ao Brasil, além de um importante centro cultural que fomenta a cultura brasileira na Espanha. Em uma das pardes também se vê que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso esteve por ali em maio de 2002.

A fachada da universidade de Salamanca é uma loucura: milhares e milhares de figuras esculpidas em três níveis. No centro, as efíges dos reis Isabel e Fernando escritas em grego, para mostrar que a monarquia apoiava as ciências e os estudos.

DSC04932

Entretanto, a grande atração é encontrar a rã que está em algum ponto daquele emaranhado de símbolos. Diz a lenda que o aluno que a descubrisse teria sorte durante todo o ano letivo. Ainda bem que já terminei meus estudos porque só com a ajuda do guia achei a bem-dita! Alguém se atreve?

Plaza Mayor – Esta tinha a função de ser o coração da cidade e foi este modelo que os castelhanos exportaram à América. A praça foi construída no séc. 18 e é rodeada por um belo edifício; sobre os arcos estão homenageadas em medalhões, as figuras principais da Espanha como Santa Teresa, Cervantes e vários reis.

DSC07748

A praça tem muitos restaurantes e destaco o café Novelty, de 1905, onde parei para tomar um cafezinho. No estabelecimento, há uma escultura de Gonzalo Torrente Ballester, escritor e assíduo frequentador do café. Nem preciso dizer que há fila para tirar foto ao lado do ilustre cliente.

Uma curiosidade: como os estudantes universitários saem para as férias em meados de dezembro, um grupo de colegas teve a ideia de celebrar o ano novo duas semanas antes do verdadeiro na plaza Mayor. Com o tempo, a festa foi aumentando e hoje o “Reveillon Universitário”, atrai gente de toda Espanha.

Catedral de Salamanca – construída em estilo gótico em pleno séc. 16, o templo é uma mistura bem sucedida de altares barrocos, arcadas góticas, túmulos de bispos, e outras figuras ilustres da cidade. Somente a porta dava um post, pois a fachada é lindamente esculpida com váris figuras religiosas. Este estilo rebuscado é original e foi desenvolvido por José Churriguera e seus descendentes que trabalharam em cidades como Salamanca, Valladollid e Madrid. Como esta decoração coincide com a expansão marítima espanhola encontramos muitos exemplos desta escola artística no México e no Peru.

DSC04842

Anexa à catedral está o antigo templo, chamada de catedral velha (uma senhora do século 12) onde são realizados casamentos e as missas encomendadas. Também ali se encontra parte do arquivo da Guerra Civil. Só por isto já valia a visita, porém há mais: no altar principal existe um retábulo impressionante onde estão retrados os principais episódios evangélicos.

Na catedral há um museu com imagens de santos em tamanho natural, livros de música sacra, trípiticos com a vida de santa Catarina e estátuas funerárias. Infelizmente, não é possível fotografar em certas partes do museu.

Só me resta completar o relato destacando a capela de São Martin ou do Azeite. Nas paredes, belos exemplos de pintura românica, com um Cristo Pantocrator separando os condenados ao inferno e aqueles que se salvaram do castigo. Na capela está o túmulo do bispo Rodrigo Díaz, lindamente policromado e, em cima do mesmo, se pode ver a Adoração dos reis Magos. Na parte inferior temos alguns frades e santos franciscanos, pois o prelado pertencia a esta ordem. Tudo isto é contado por uma voz em off com direito a efeitos sonoros e jogo de luz que aponta cada detalhe para o visitante. Perfeito!

DSC04838

Convento de santo Estevão: este convento dominicano está dedicado a Santo Estevão, o primeiro mártir do cristianismo. A igreja começou a ser construída em 1524 e foi inaugurada em 1610. A fachada de estilo churrigueresco é composta de três níves e está ornada com a figura de Deus Pai ao alto, o calvário e o martírio de santo Estevão; nas laterais, esculturas dos santos e beatos dominicanos completam o cortejo. Percebemos já as figuras bem acabadas da Renascença lado a lado com elementos góticos.

DSC04849

O primeiro lugar que se avista no convento é o claustro de procissões ou dos Reis, um espaço amplo, com arcadas maravilhosas e um jardim propicio à meditação.Para subir ao segundo andar há a linda e curiosa escada de Soto, chamada assim porque foi frei Domingo de Soto que bancou o projeto. Ao final, encontramos a figura de Maria Madalena deitada, meditando sobre um livro e uma caveira. A escultura já seria curiosa si mesma, mas no arremate de uma escada ? Ainda não descobri a trascendência do propósito.

Como se não bastasse todo tesouro artístico do convento, o lugar tornou-se célebre por abrigar alguns incompreendidos de sua época. Esteve ali Colombo que sustentava diante dos professores da universidade de Salamanca que era possível encontrar outras terras singrando mares nunca dantes navegados. Também santa Teresa de Ávila pediu proteção aos dominicanos durante a reforma do carmelo e o local onde ela se confessava se conserva até hoje.E, por fim, o capítulo antigo da ordem ou o local onde os religiosos discutiam os temas cotidianos e trascendentais. Foi ali, por exemplo, que se expôs e adotou a ideia que os índios tinham alma e, portanto, eram iguais aos cristãos e assim, não deveriam ser escravizados. Aula de história na veia!

Universidade de Salamancaa fachada é gratuita, mas é possível conhecer todo edifício por dentro pagando.

Quanto? 10 euros

Quando? Segunda a sábado: 10:00 a 19:00 horas
Domingos e feriados: 10.00 a 14.00

Catedral de Salamanca –

Quanto? 4,75 euros.

Quando?

De outubro a março, todos os días de 10:00 a 17:30 horas .

De abril a setembro: de 10:00 a 19:30 horas

Convento de Santo Estevão –

Quanto? 3 euros

Quando? Todos os dias de 10:00 a 14:00 h. e de 16:00 a 19:00 h.

 

 


Compartilhe |


0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers