Toledo – parte 1

(post em 08/12/2013)


A cidade de Toledo deveria ser visita obrigatória para quem vem à Espanha. Bem, eu também poderia falar o mesmo de Sevilha, Granada ou Córdoba. Vou começar de novo: Toledo deveria ser visita obrigatória para quem vem a Madri, pois está situada a meros 70 quilômetros da capital.

A cidade guarda tantas histórias e está tão bem preservada que temos a sensação de poder ouvir os cascos dos cavalos e encontrar cavaleiros armados a qualquer momento. Por isso vou dividir esse post em duas partes porque tenho muito para contar; e ao contrário do roteiro sobre Alcalá de Henares, a ordem aqui é meramente ilustrativa, pois o melhor de Toledo é se perder por suas ruas.

DSC08318

Como quase toda cidade espanhola, Toledo foi ocupada por romanos, visigodos, muçulmanos e, finalmente, cristãos, que foram deixando suas marcas nas construções.

Lembram-se das aulas de História de vocês? De Isabel de Castela e Fernando de Aragão, os Reis Católicos? Pois então. Eles governaram seus respectivos reinos de Toledo durante um bom tempo. Só depois, em 1561, a capital foi transladada a Madri por Felipe II.

Há várias teorias para esta atitude: Madri era mais bem localizada, tinha água em abundância, havia menos pressão do clero e do poderoso cardeal de Toledo, e da quase inexistente nobreza em Madri.

Independente da razão que levou Felipe II ser um JK do século 16, o fato é que Toledo nunca mais recuperou o prestígio e pouco a pouco foi perdendo seu brilho.

O que foi ruim para seus habitantes foi bom para os turistas e fãs da Idade Média em geral, pois o centro histórico está muito bem preservado. E ainda por cima há uma quantidade absurda de igrejas e museus que contam um pouco mais do cotidiano daqueles tempos.

Quantos dias preciso?

Com um dia de caminhada já se conhece a cidade e dá tempo de ir à catedral e mais um museu. Outra forma de economizar a sola de sapato é fazer o passeio de ônibus turístico, e assim, ir direto aos museus, singogas e igrejas de interesse.

Entretanto, quem é apaixonado pela Idade Média, cavaleiros e afins, deve pernoitar na cidade ou até considerar ficar três dias.

Como chegar

Carro: alugue um carro no buscador ao lado do post. Está em portugués e reúne as principais agências de aluguel de carros na Espanha. Lembrando que se você fizer o aluguel aqui pelo nosso site eu ganho uma comissão que ajudará a manter o Rumo a Madrid no ar.

Ônibus: a empresa Alsa faz o trajeto em uma hora. O ônibus sai da plaza Elíptica e custa 5, 63 euros. Sempre fui de trem e não posso opinar sobre a viagem.

Trem: o AVE (trem de alta velocidade) sai de Atocha e leva meia hora para chegar na cidade.

Preço: 10, 30 a 12,50 euros.

Em Toledo

DSC03293Decidiu ir para Toledo de trem? Sábia decisão! Ao chegar na belíssima estação de trem decorada com motivos neomudejares você terá duas opções para chegar ao centro histórico: ir à pé, de ônibus ou táxi.

Como para chegar ao centro é preciso subri uma ladeira e ainda encarar as escadarias, melhor deixar para voltar caminhando. Afinal para baixo, todo santo ajuda, não?

Táxi

Tarifa fixa de cinco euros e não sei tão caro se é possíve dividir. Os motoristas deixam numa rua paralela a praça Zocodover.

Ônibus

Em frente a estação ferroviária, as linhas 5,6,22 deixam o passageiro na praça Zocodover, a mais central da cidade.

Preço: adulto: 2,50 Euros.
Infantil (de 4 a 12 anos) e maiores de 65 años: 1 Euro

Comércio

Meninos e meninas de todas as idades vão adorar as lojas de armas, cavaleiros medievais, espadas e armaduras. Afinal, a cidade ainda mantém a tradição de forjar o melhor aço do reino. Se você quiser levar um exemplar de uma espada da cavalaria e tem medo de passar pela alfândega, não se preocupe. Os lojistas fazem uma embalagem especial e o brinquedinho chegará em casa sem problemas.

Por outro lado, as meninas podem se deliciar com as imperdíveis lojas de prataria que vendem brincos, anéis e cordões de todos os tamanhos e gostos. O preço é muito bom se contar o custo benefício. Portanto, não deixe de entrar em alguma delas.


Catedral de Santa Maria

DSC03358O ponto alto da visita, entretanto, para mim é a catedral. Erguida sobre uma antiga basílica visigoda que foi transformada em mesquita e, finalmente, em catedral, ela começou a ser construída em 1226 e foi terminada em 1493. Assim encontramos uma profusão de estilos que vai da fachada gótica, mas com toque moçárabe e plateresco, passando por restaurações e reformas ao longo dos séculos. É muito difícil transcrever sua beleza em palavras e talvez com alguns números possam dar uma noção da grandiosidade: 750 janelas com vitrais, 120 metros de comprimento e quase 90 de altura.

Como não é permitido fotografar em seu interior só posso partilhar duas fotos do exterior para mostrar a vocês um pouco desta beleza. O campanário construído de forma a encobrir o minarete islâmico e um conjunto de santos que ornam as numerosas portas da catedral. O gótico é um estilo que busca narrar a Bíblia ou vida dos santos com as imagens e por isso, a grande quantidade de esculturas que contam cenas como se fossem histórias em quadrinho.

DSC03354No templo também há dois museus: um dedicado às vestimentas dos antigos cardeais e bispos (Toledo foi a primeira diocese da “Espanha”) e outro sobre os tesouros artísticos adquiridos pela arquidiocese tais quais pinturas de El Greco, Caravaggio, Goya, ostensórios de ouro, archotes de prata, etc.

Vale muito a pena se preparar para visitar a catedral e assim tirar o máximo de proveito do passeio. O site oficial é uma boa pedida, mas não há tradução para o português.

Onde? Calle cardenal Cisneros, 1

Quanto? 11 euros

Quando? De segunda a sábado de 10:00 às 18:00. Domingos e festivos religiosos 14:00 às 18:00. Atenção para os dias de festas como Semana Santa, dia do padroeiro ou Corpus Christi quando a igreja abre em horário especial.

Museu da Santa Cruz

DSC03327O museu de Santa Cruz está em um antigo hospital e o térreo conta com um pátio interno, arcadas e um jardim completamente simétrico. Construído de 1504 a 1514, em estilo plateresco… Ops! Estilo o quê? Plateresco. Também não o conhecia porque foi um estilo desenvolvido principalmente aqui na Espanha especialmente em Salamanca, Burgos e Toledo. O plateresco se trata de uma corrente artística entre o gótico e o renascimento e sua principal característica é a ornamentação das fachadas de pedra com escudos, plantas, animais e figuras mitológicas, como se estas tivessem sido feitas na prata e daí o nome. Neste museu temos a fachada ornada neste estilo e a impressionante escada que o conecta com o andar superior. Atenção ao teto e as laterais que mostram os escudos dos cardeais de Toledo.

A instituição guarda uma importante coleção arqueológica de objetos encontrados em Toledo e nas redondezas. Ali se vê desde os túmulos romanos, lápides muçulmanas e imagens cristãs. Na seção de Belas-Artes há dezoito pinturas de El Greco, esculturas e tapetes. Finalmente, na seção de artes industriais se destaca a produção em aço que fez (e faz) a fama de Toledo até hoje.

Onde? Calle Miguel de Cervantes, 3

Quanto? 5 euros

Quando? De segunda a sábado de De 10:00 a 19:00 h; domingos de 10:00 a 14:30 h.

Museu dos Concílios e de Arte Visigoda

DSC08281Na antiga igreja de São Romão está o Museu dos Concílios e de Arte Visigoda. Vamos nos lembrar das aulas de História da tia Maricota: os visigodos eram os “bárbaros” que se instalaram nesta parte da península ibérica e foram se convertendo para o catolicismo. Primeiro, para a versão ariana. Depois, para a versão romana.

Mais tarde vieram os muçulmanos e o que era mesquita foi adaptado ao cristianismo. Atualmente, é possível ver nas paredes as antigas pinturas e inscrições em árabe. Já no antigo altar se conserva o retábulo do séc. XVI que é absolutamente divino.

A coleção do museu consiste em objetos achados em escavações ou retirados dos antigos túmulos visigodos. Há artefatos do cotidiano como cintos, colares e anéis; e belos exemplares das coroas com joias e as letras do nome do soberano.

Agora, porque se chama museu dos Concílios? Porque em Toledo, quando a cidade era toda poderosa, abrigou cerca de dezoito concílios. Ah! Mas o que são concílios mesmo? Sabe como é há mais de quarenta anos que a Igreja não convoca um…

Concílio é uma reunião dos membros da Igreja quando surge alguma questão que divide o clero ou a comunidade dos fiéis; assim é convocada uma assembleia com o intuito de conciliar as partes conflitantes. Antigamente, os reis e nobres podiam participar de certos concílios como foi o caso destes que foram celebrados em Toledo.

Onde? Calle de San Román, s/n.

Quanto? 1 euro

Quando? De terça a sábado de 10 a 14.00 y de 16.00 a 18.30 h.
Domingos e feriados de 10 a 14.00 h.
Segunda-feira: fechado

Igreja de São Salvador

Um exemplo da mistura de culturas e religiões em Toledo é a igreja de São Salvador. Inicialmente foi uma igreja visigótica, e posteriormente, os muçulmanos a transformaram em mesquita.

Porém, dessa vez, eles não respeitaram as imagens e rasparam o rosto de Cristo em uma pedra que representava algumas cenas de sua vida. O templo é muito simples, mas é permitido subir na torre (sem pagar nada por isso) e de lá contemplar uma bela vista de cidade.

Onde? Plaza del Salvador, s/n.

Quanto? 2,50 euros

Quando? De segunda a sábado de 10:00 a 17:45 e domingo de 11:30 a 18:45 h.

Quer continuar sua visita? Clique aqui e leia mais dicas sobre Toledo

Post revisado em 26.08.2018


Compartilhe |


4 Comentários

  1. fernanda diz:

    Olá, Estou adorando o blog mas as dúvidas são inevitáveis.
    Irei em janeiro com minha filha de 12 anos.
    Será que é melhor pegar uma excursão de meio doa ou o dia todo para Toledo?
    Arrisco ir de trem? Se for de trem como me locomoverei pela cidade? É tudo perto?Muito obrigada e aguardarei suas sugestões.

    • Juliana diz:

      Olá, Fernanda! Obrigada!! Bem, eu sou suspeita, porque acho que você deveria ficar um dia inteiro lá. Essas excursões vão a poucos lugares e de maneira bem rápida. De trem é o melhor jeito: a estação é perto, basta pegar o táxi que custa uma média de 4,50 euros ou andar 30 minutos de subida suve. Eu sempre prefiro ir de táxi e voltar andando. Caso você esteja interessada, o ônibus turístico faz um belo recorrido por fora da cidade. E só tem uma maneira de se locomover por Toledo: a pé! 😉 Afinal, não é permitida a circulação de carros, salvo os autorizados. E não se preocupe que tudo é perto e muito, muito lindo!! Boa-viagem e bem-vinda Madrid e Toledo!

  2. fernanda diz:

    Muito obrigada pelas dicas!!

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2013 Rumo a Madrid

Criação e desenvolvimento Guttdesign

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers